Duas vezes Índica: Em cena, uma das cervejas mais lupuladas do Brasil

30 Comentários
1.922 visitas

ChopeIndica

São potentes 75 IBU´s (índice internacional de unidades de amargor). Pra se ter uma ideia, uma cerveja “tipo pilsen” do boteco da esquina possui meros 8 IBU´s, em média. Entra em cena a Colorado Double Índica, uma das cervejas mais amargas do país até o momento.

A novidade — que ainda só está sendo comercializada em bares especializados na versão chope — chega em ótima hora: já fazia algum tempo que a badalada Cervejaria Colorado, de Ribeirão Preto (SP), não lançava novas brejas para deleite dos  milhares de fãs cervejeiros da marca (aos quais se inclui este escriba).

A história da breja começou com a vinda ao Brasil mês passado do americano Matt Brynildson, incensado cervejeiro da artesanal californiana Firestone Walker Brewing Company. Para “recepcioná-lo”, o cervejeiro da Colorado Patrick Zanello resolveu desenvolver uma leva experimental da sua boa e velha Índica, só que com uma carga extra — bem extra… — de lúpulos. E, enquanto experimental, neste primeiro lote só foram produzidos 1.500 litros da breja.

Pelo que pude apurar, a cervejaria ribeirão-pretana está providenciando o registro nos órgãos governamentais competentes para lançar a Double Índica na versão garrafa. Em razão da conhecida “rapidez” desses órgãos, porém, ainda não se sabe quando isso ocorrerá de fato.

No Bar Brejas, só 30 litros

Se nenhum acidente de percurso ocorrer, hoje (4/11), chegará no Bar Brejas (casa controlada por este site em Logo_BarBrejas_pequenoCampinas-SP) um barril de 30 litros da breja. Sim, eu sei, é pouco. São apenas 30 litros, mas o suficiente pra matar a curiosidade dos lupulomaníacos para provar, em primeiríssima mão, a cerveja brasileira mais lupulada até agora.

Mas todo cuidado é pouco: A Colorado Double Índica possui nada menos que 9,5% de potência alcoólica…

Em tempo…

Quando da publicação desta postagem, fiei-me numa informação errônea passada, por pura confusão de informações, pela Colorado. Ela dava conta que a Double Índica possuía apenas 45 IBU´s, o que não é verdade, e gerou discussões acaloradas nos comentários aí embaixo. O índice correto de amargor da breja bate em 75 IBU´s, o que a coloca, tecnicamente, dentro do estilo proposto.

Em tempo, Parte II…

Por uma falha da empresa transportadora, o barril de Double Índica que era pra estar no Bar Brejas hoje, 4/11, acabou não chegando a tempo. De acordo com a Colorado, a breja estará em Campinas impreterivelmente nesta sexta-feira, 5/11.

30 Respostas para “Duas vezes Índica: Em cena, uma das cervejas mais lupuladas do Brasil”


  • 1 Fernanda Lazzari

    A cerveja Venenosa uma IPA da Cervejaria Bode Brown produzida em Curitiba desde o primeiro semestre de 2010 tem mais de 100 IBU’s.

  • Ainda nao provei essa versao mas pelo que andei lendo e discutindo com o cervejeiro (que e’ meu irmao) essa e’ uma IPA estilo americano completamente focada nos lupulos aromaticos e malte, (seguindo bem a linha da Firestone Walker) e deixando de lado o tradicional amargor do estilo original, por isso “apenas” 47 IBUs.
    Isso mesmo: apesar desse post do Mauricio classificar essa cerveja como a mais amarga do Brasil, na verdade o correto seria dizer que ela e’ a de mais alto IBUs do Brasil pois com o tanto de malte doce e lupulos aromaticos que tem, ela nao parecera’ amarga.
    Isso pode causar um certo “choque” incial nos bebedores nao acostumados que esperam por aquele amargor imponente.
    Temos que aceitar essa cerveja apenas como uma vertente do estilo IPA que, acreditem, tem muitas variacos e nuancias. Tem gente que acha que Double IPA e’ igual a amargor e grama. Esta cerveja vem pra provar que isso nem sempre e’ verdade.
    Vida longa a esse novo estilo tao pouco explorado no Brasil!

    PS: Agora falando em amargor, so’ nos resta esperar a Triple Indica com 100 IBUs!

  • Acho que aconteceu alguma confusao.
    A cerveja Venenosa da cervejaria Bodebrown de Curitiba que já foi mostrada aqui, tem IBU maior que esta Colorado…

  • 4 Aline Brandão

    Eu discordo que essa cerveja double colorado indica seja a mais amarga e com o maior numero de IBU do Brasil como o mauricio e o paulo estão dizendo.

    Pois se fosse considerar apenas o estado de SP estariam certos ao meu ver, porem do Brasil é necessário levar em consideração e sem desmerecer o pessoal da BODEBROWN que fazem a Venenosa Perigosa com potentes 100IBUS e que deixa um amargor na boca no retrogosto impecável. Parece muito, porem quando comparamos as imperiais IPAs norte americanas, percebemos que 100 IBU é a media normal das extremes.

    Gostaria de saber se a colorado double indica é uma double ipa ou apenas ipa com um pouco mais de amargor. Porque para double ipa esses 47IBUS estariam fracos ou nao estariam?

  • Maurício, obrigada pelo post, a DIPA tem feito realmente as pessoas repensarem o quanto gostavam de lúpulos.

    Abaixo, um release que eu preparei junto com o Patrick para explicar como foi feita essa cerveja. Isso por que nem comentamos o banho de lúpulo que o mestre cervejeiro levou ao retirar o dry hopping!!Dias cheirando a lúpulo, rs.

    segue inteiro o release, que não vai sair assim para a imprensa, por conta de alguns itens que leigos não entenderiam, como o nome dos lúpulos, não vem ao caso aqui.

    “A Cervejaria Colorado com a intenção de aumentar seu portfólio de cervejas sazonais aproveitou o contato do mestre cervejeiro Matt Brynildson (Firestone Walker, USA), para testar uma nova cerveja. A convite de James Thompson (USA HOPS), Matt Brynildson veio ao Brasil para ministrar uma palestra sobre lúpulos americanos em Blumenau, e escolheu a Colorado para fabricar uma cerveja comemorativa do evento e que mostrasse todo o potencial dos lúpulos americanos, foi uma excelente oportunidade de amplificar o estilo da famosa Indica. Patrick Zanello da Colorado, junto com Matt Brynilsdon criaram a receita colaborativa da Double Indica, uma Double Índia Pale Ale que se caracteriza pelo equilíbrio de doçura e amargor. A fórmula da cerveja, usa lúpulos com características variadas que mostram todo o seu potencial. Galena, Cascade e Amarillo são usados logo no começo da fervura e Cascade, Simcoe e Amarillo para os dois dryhoppings que são feitos pós fermentação. O resultado é uma cerveja com aromas intrigantes e paladar inusitado, com extremos sabores cítricos e 9,5 % de álcool. Depois de pronta a cerveja foi aprovada pelo cervejeiro americano e agora está sendo enviada aos profissionais da área para prova.”

    bjo

  • Realmente a Venenosa tem o IBU maior mesmo, acho que o Mauricio se esqueceu dela hehe.
    Aline, realmente a maioria das double IPAs americanas tem IBUs na casa dos 80 pra cima. Mas nao e’ isso que as define. Eu acredito que seja a OG e o consequente teor alcoolico (que na Double Indica e’ 9.5 %) por isso eu a consideraria uma DIPA sim.
    Como disse no meu post, eu ainda nao provei mas ja vou esperando que esta cerveja nao seja nada amarga. 47 IBUs para esse tanto de malte vai deixa-la doce ate’. Mas devemos lembrar que a intencao nunca foi de fazer uma breja amarga e sim citrica e aromatica.

  • 7 Mauricio (BREJAS)

    Pessoal,
    Não me esqueci da Venenosa. Por sinal, há pouco tempo fiz aqui um registro dessa deliciosa breja:
    http://www.brejas.com.br/blog/22-09-2010/doces-amargos-alcoolicos-venenos-6961/
    Todavia, pelo que pude apurar, os trâmites burocráticos da DIPA estão praticamente encerrados, o que a torna “oficial”. Não é só. Apurei também que a Venenosa não poderá ser comercializada com o seu nome original, em razão da burrice galopante dos nossos órgãos de controle alimentar.
    Mas obrigado pela lembrança, fica aí uma saudável “competição”!

  • Paulo Zanello,

    As Double IPAs são sim definidas pelos IBUs assim como pelas densidades e outras características, não querendo entrar numa discussão interminável sobre estar ou não estar dentro do estilo, apenas vou citar o Brewers Association – Beer Style Guidelines 2010:

    “Imperial or Double India Pale Ale
    Imperial or Double India Pale Ales have intense hop bitterness, flavor and aroma. Alcohol content is medium-high to high and
    notably evident. They range from deep golden to medium copper in color. The style may use any variety of hops. Though the hop
    character is intense it’s balanced with complex alcohol flavors, moderate to high fruity esters and medium to high malt character.
    Hop character should be fresh and lively and should not be harsh in quality. The use of large amounts of hops may cause a degree
    of appropriate hop haze. Imperial or Double India Pale Ales have medium-high to full body. Diacetyl should not be perceived. The
    intention of this style of beer is to exhibit the fresh and bright character of hops. Oxidative character and aged character should not
    be present.
    Original Gravity (ºPlato) 1.075-1.100 (18.2-23.7 ºPlato) ? Apparent Extract/Final Gravity (ºPlato) 1.018-1.024 (4.5-6 ºPlato)
    ? Alcohol by Weight (Volume) 6.0-8.4% (7.5-10.5%) ? Bitterness (IBU) 65-100 ? Color SRM (EBC) 5-13 (10-26 EBC)”

    Ou seja 65 a 100 IBUs. . .

    Alias, no BA tem a definição do amargor pras American India Pale Ales que vai de 50 a 70 IBUs.

  • Senhores,

    Deve ter havido alguma falha na comunicação…. a Bia me ligou perguntando o valor de IBU ( para o post ) do que eu achei ser a indica…. mas ela me perguntava sobre a double indica, que na verdade apresenta 75 IBU.

    Andei ausente uns dias e to vendo que surgiram algumas informações não batendo…. Paulo, aqui vai:

    OG: 22,4 P
    FG: 5,5 P
    IBU: 75
    Alcool: 9,5 %.

    Pra quem não tomou, o maior elogio que recebi foi o do próprio Matt, que disse que uma Imperial IPA o mais difícil é ter um bom balanço da doçura do malte com o amargor do lúpulo, e a double indica tem esse balanço.

    ah…gostei da ideia da triple indica…. hehe…

  • ah, tem umas duas garrafinhas da venenosa na Colorado para tomar lado a lado com a double indica e comparar… que venham esses IBUs todos!

  • Ta explicado entao. Tava achando estranho mesmo so’ 47 IBUs.

  • Agora sim botei uma fé nos 75 IBUs hehehe

    Espero que tanto a Double Indica quanto a Venenosa(com o novo nome ou com o antigo mesmo) estejam presentes no Festival Nacional no final do mês, com certeza será uma excelente oportunidade para tomá-las lado a lado!

  • Só para encerrar a parte chata do post que foi uma confusão no telefone, peço desculpa a todos por isso!!

    Pedro, vamos estar sim no festival de Blumenau, mas quanto a levar a Double ainda é incerteza, temos pocas garrafas que sobraram, já que não foi feita grande quantidade e não estamos comercializando.

    Patrick, bem lembrado, temos algumas venenosas por aqui, acho que já podemos mandar para o Cervejarium e fazer uma degustação de altos IBUS por esses dias, aproveita e leva a Simcoe que eu trouxe que é também uma DIPA, com certeza, esse post com tantas indas e vindas nos inspirou!!Maurício, depois te passo como foi essa degustação!!!Fica a dica! beijo

  • 14 Ricardo Campelo

    POR FAVOR! MANDEM PARA CURITIBAAAAAAAAA

  • Sensacional esta discussão! Estamos mesmo no Brasil???
    Mas como disse o Maurício, sugiro que fiquemos na competição saudável.

    Adoro a Índica e agora quero muito provar esta double.

    Adoro a Double Dog.

    E mal vejo a hora de experimentar a Venenosa. Tenho medo de veneno, não…

  • ‘E legalque a Colorado esteja expandindo a sua linha de produtos, o que mostra que o brasileiro tambe esta espandindo o seu paladar e esta aberto a um estilo extremo como uma double IPA.
    Eu so acho um absurdo a presuncao da Colorado declarar ser a primeira e a mais amarga Double IPA do Brasil, considerando que outros ja produzem esse estilo ja faz algum tempo e com um IBU superior, seja em escala comercial como a BodeBrown com a Venenosa ou artesanalmente como a De Bora e a sua Extreme IPA. Ambas excelentes cervejarias oferecendo exelentes cervejas
    Eu devo confessar que eu nao sou um grande fa da Colorado e eu nao espero que eles venham com um produto tao bom quanto as das cervejarias que eu citei, mas de qualquer forma sera bom para a cultura cervejeira no Brasil. O que nao pode ser dito do comportamento da Colorado, pois nao foi por falta de informacao que eles fizeram o que fizeram.

  • Pessoal, ha uma certa confusao que talvez o cervejeiro americano posse lhes explicar melhor. IPA inglesa privilege adicao de lupulo precoce e contribui com o amargor, dentro de limits conservadores ingleses. American IPA privilegia o aroma, mas sem esquecer-se do amargor, ate porque lupulagem tardia de dry hopping nao confere NENHUM IBU a mais. A Double IPA é uma class especial de cervejas com muito alcool, muito amargor e muito aroma. Uma releitura Americana do estilo, assume como fazem com novas experiencias como a Double Fist da Revolution e a India Brown Ale da Dogfish Head ou o estilo Black IPA.
    sem prover a double indiga ainda, vejo pela discussao que se trata de uma American IPA, que privilegia o aroma, algo muito caracteristico nas cervejas que tomei nos EUA.
    Resta portanto a observacao necessaria que o estilo double IPA no Brasil esta representado pela ousadia dos homebrewers e pela coragem do Samuel Cavalcanti, que produz ha algum tempo uma cerveja que frequent a minha geladeira, se assemlha as melhores que tomei nas terras do tio SAm e continuer sendo muito provavelmente a unica double IPA de verdade produzida em escala no Brasil.

  • Pedro,
    a Colorado não declarou que a nossa Double Indica seja a mais amarga e a primeira DIPA no Brasil. O que lançamos na mídia é o que eu postei acima (um pequeno release), depois disso, as pessoas da área que receberam e tomaram, deram suas opiniões pessoais, por favor não ache que foi pressunção nossa. Sendo um estilo diferente e uma cerveja forte, pouco conhecida, pode ter acontecido que sim, acharem que era a mais forte, mas como já esclarecido acima, não é. Estamos trabalhando a favor de todos que gostam de cerveja e somos mais uma das várias cervejarias que tem feito um trabalho de divulgação e ampliação da cultura cervejeira no Brasil e no exterior. No caso da DIPA, também não fizemos sozinhos, Matt Bryndilson (Firestone Walker) é quem junto com o Patrick nosso mestre cervejeiro criou essa receita. Espero que possa provar e nos dizer o que achou, pois não estamos competindo e sim dando mais um produto brasileiro ao mercado.
    Muito obrigada. Caso esteja interessado, pode me escrever diretamente no e-mail. [email protected]

  • 19 PAULO CAVALCANTI

    Gostaria primeiramente de agradecer a todos que lembraram da Venenosa Double IPA, desenvolvida desde o final de 2009 e começo de 2010 para atender os aficcionados por lupulo, com 100 IBUs. E para fins de esclarecimento gostaria de informar que a VENENOSA PERIGOSA DIPA DA BODEBROWN já se encontra registrada no MAPA-PR sob o nº 94555.0001-5 e liberada para a venda.
    Gostaria de parabenizar o pessoal da Colorado pela Double Indica, que mesmo eu nao ter degustado ainda, imagino que deva ser uma excelente cerveja. E quem ganha com lançamentos de novos produtos sao os proprios consumidores, parabens pelo movimento e barulho no mundo das cervejas que está ocorrendo no Brasil. Achei que ia morrer bebendo a q desce redondo.

  • 20 Mauricio (BREJAS)

    Pessoal,
    Que discussão bacana! Parabéns a todos os participantes dos comentários deste post pela cultura cervejeira que demonstraram possuir. Como o Evandro brincou, nem parece que estamos no Brasil!
    Reconheço que, ao nomear a Colorado DIPA como “a mais lupulada do Brasil”, exagerei. Tampouco não tinha conhecimento do registro no MAPA da deliciosíssima Perigosa (ex-Venenosa), com seus titânicos 100 IBU´s. Então, pra ser fiel à verdade, alterei o post, colocando a Colorado DIPA como “uma das cervejas mais lupuladas do Brasil”.
    Embora inicialmente incorreto, porém, o post lança uma deliciosa aventura: confrontar, em uma única degustação, as duas brejas hiperlupuladas. Quem conseguir, coloque aqui as impressões!
    Um abração a todos.

  • 21 André Junqueira

    Fico feliz em ver que o Brejas zelou por sua credibilidade e se corrigiu pelos equívocos.

    Porém fico mais feliz ainda de ver a cultura cervejeira aflorando no Brasil a passos largos!

    Parabéns ao Brejas
    Parabéns à Colorado
    Parabéns à Bodebrown

  • É lamentável que o BREJAS não tenha citado a tempo a VENENOSA/PERIGOSA, que foi pelo que tenho conhecimento,considerada a cerveja mais lupulada do Brasil, passando dos 90 IBUs. Esta cerveja é uma jóia rara, fabricada em Curitiba a um bom tempo pela cervejaria Bodebrown.
    Acho que podemos colocar a Indica como uma das mais lupuladas,mas não como a mais,pois assim estamos tirando o crédito e mérito de quem quem ja faz a primeira( VENENOSA/PERIGOSA).

  • 23 Mauricio (BREJAS)

    Amigos,
    Estão acontecendo algumas gritarias de bastidores acerca da Venenosa/Perigosa que, a meu ver, são totalmente fora de propósito.
    O título, bem como o conteúdo deste post foi alterado para refletir a verdade. Tanto a Colorado DIPA quanto a cerveja paranaense são duas das mais lupuladas cervejas do país. E ambas são deliciosas, cada uma na sua proposta.
    Torno a dizer que já falamos da Venenosa/Perigosa em post especial aqui mesmo neste Blog:
    http://www.brejas.com.br/blog/22-09-2010/doces-amargos-alcoolicos-venenos-6961/
    Não estamos “favorecendo” uma cerveja em detrimento de outra. Por sinal, falando das duas, acabamos promovendo (com justiça) a ambas.
    Este site, como sempre, possui linha editorial totalmente independente, como todos podem comprovar apenas compulsando nossas publicações ao longo de todos esses anos dedicados à cultura cervejeira.
    Entendemos que cervejeiros e admiradores da cerveja a defendem como se fossem suas filhas. Mas, honestamente, não há motivo para esse esperneio sem sentido.
    Como sempre, estou aberto ao diálogo tanto por aqui nos comentários, como em meu e-mail [email protected].
    Quem está tentando denegrir a nossa imagem por causa desse assunto já exaustivamente explicado, deveria antes dialogar comigo.
    Fico no aguardo.

  • Muito bem falado Mauricio. O assunto ja estava mais que encerrado e ainda tem gente que quer arrumar confusao e criar discordia.

  • 25 Marcelo Carneiro da Rocha

    Realmente muito boa a discussão ,já provei as duas cervejas e estão no mesmo nível não só de amargor como de criatividade e qualidade de execução .
    Não acho que estes superlativos tipo a mais lupulada ou a mais alcoólica etc sejam critérios de valoração mais importantes do que a própria preferencia de quem bebe.
    De qualquer forma, qualquer cervejeiro que tenha lido a discussão pode, semana que vem por exemplo fazer uma cerveja mais lupulada que as nossas duas.
    Para a gente aqui na Colorado esta foi só uma oportunidade de executar uma cerveja colaborativa (para o evento da US Hop Growers) com uma cervejaria amiga do exterior, nada mais do que isso , tanto que só agora depois da boa recepção é que estamos providenciando o registro da mesma.
    Longe de nós querer nos apropiar de qualquer título de outra cervejaria, muito menos ainda da Bodebrown pela qual nutrimos uma grande simpatia.
    Cabe portanto a Bodebrown o mérito de ter registrado a primeira DIPA do Brasil assim como nós a primeira IPA do Brasil lá atrás em 95, estes sim são critérios objetivos que ninguem poderá mudar.
    E viva a Venenosa e a Double Indica,duas gotas de exceção num mar de mesmice cervejeira.

  • Bem,

    Ficamos felizes pelas suas elegantes e respeitosas palavras sr. Marcelo Carneiro da Rocha.

    Quero dizer que somos influenciado pelo seu belo trabalho, admiramos a sua luta ataraves da conceituada Cervejaria Colorado no Brasil.

    Nos, aqui em Curitiba, com nossa humilde producao de 2.500 litros mes(apenas), ficamos honrados em ter nosso produto (PERIGOSA IMPERIAL/DOUBLE IPA) colocado ao lado de uma das mais consagradas e respeitadas cervejarias do Brasil, (mesmo de forma polemica), o que constata longo e extreito caminho que temos pela frente, pois estamos focado em valores e principios, acima de tudo respeitaveis.

    Enquanto que para empresa Colorado sua Double foi uma producao especial colaborativa com os amigos americanos, aqui em Curitba fizemos com nosso humilde conhecimento/condicoes, sem nenhuma pretensao de ser “a maior, a melhor e ou a mais”… apenas trazer para “Curitiba” uma oportunidade de cerveja.

    Fica aqui um pedido a familia Colorado.
    Para demonstrar nossa uniao (Bodebrown & Colorado), e que somos duas gotas de excecao neste mar de mesmice cervejeira:

    “Gostaria de assistir e curtir a “Bodebrown Perigosa Double IPA” produzida na Colorado em grande escala e em grande estilo para todo Brasil,
    ” Bodebrown & Colorado Perigosa Double IPA a primeira do Brasil “.

    Obrigado,

    Saudacoes,
    Samuel Cavalcanti

  • 27 André Junqueira

    Agora sim eu vi vantagem!!!

    Que venham essas e muitas outras maravilhas da Bodebrown e Colorado.

  • Caros cervejeiros e apreciadores,

    Gostaria de manifestar minha singela opnião e conclusão sobre este cenário tão interessante acima:

    1)Os números de postagem destacam a importância da BODEBROW e da COLORADO no nosso cenário brasileiro como pioneiras.
    2) Assim como a COLORADO, a PERIGOSA também tem seus amantes e defensores de seus créditos, não permitindo injustiças em site tão importante e já referência como tantos outros no Brasil, como o mestrecervejeiro.com e o obiercervando.com.br(pioneiro no brasil em rankear cervejas);
    3) Acredito que a melhor forma de voltarmos a dar a credibilidade e a imparcialidade defendida pelo BREJAS é ser criado no próprio site a função do onbusman http://pt.wikipedia.org/wiki/Ombudsman de forma a se ter um poder fiscalizador interno do que vai ao ar e, com isso, evitar novos desencontros de informações desta ordem e restabelecendo assim a confiança no trabalho desenvolvido pelo Brejas;
    4) Este estado de coisas é a prova mais inconteste de que é preciso ter cuidado e atenção com as informações apresentadas a público tão seleto como os amantes da cerveja artesanal, sob pena de responsabilidade, moral acima de tudo.
    5) Parabéns ao Marcelo Carneiro e ao Samuel Cavalcanti, verdadeiros pioneiros no movimento cervejeiro do país, pelo cavalheirismo e diplomacia nos posts deixados, resolvendo, de forma humilde, toda esta adorável confusão.
    6) Só resta agora ao BREJAS, em homenagem a todos os seus leitores do sul do país, convidar o pessoal da PERIGOSA e ceder o mesmo espaço e chamada cedido à COLORADO na matéria discutida, destacando o equívoco, como forma de retratação e reconhecimento de sua escorregadela.
    7) Parabéns ao BREJAS por ser certamente uma referência no cenário nacional e internacional de cervejas.
    Marcus Fabricius Cosme Carvalho

  • 29 Mauricio (BREJAS)

    Marcus,
    Como autor do tópico em questão, tudo o que eu tinha a dizer já foi dito no comentário de 9/nov/2010 às 15:45. Por favor, leia-o. Se já leu, releia-o, a fim de não ficar desatualizado na discussão.
    E, por favor, duvide da “credibilidade” de quem está aqui apenas reacendendo um pretenso entrevero já debelado com lisura e transparência.
    Um abraço.

  • Maurício,
    Quando escrevi o comentário havia lido sim todos os posts e me atualizado do assunto e, mantenho o que postei.

    Justamente porque o compromisso de lisura, transparência e imparcialidade merecido pelo BREJAS deve estar condizente com seus atos, nisso inclui a retratação de equívocos, como o ocorrido.

    E um post no final da página, ao meu ver, não possui o mesmo alcance que uma matéria veiculada no site, de primeira página, com chamada e tudo.
    Na matéria, por sua vez, não há nenhum comentário nesse sentido, mesmo, com três adendos já feitos depois de concluída.

    E falei isso porque entendo haver um compromisso com o slogan do site de “O Maior e Melhor Ranking Brasileiro de Cerveja”.

    Ora, a informação apresentada acima, pelo que acompanho do site, trouxe uma das maiores, senão a maior participação de leitores até aqui, demonstrando a importância da discussão sim.

    Penso que manifestações de opnião como a minha que defendem a solução de problemas na mesma proporção que a sua repercussão, trazendo a verdade e a informação certa não podem ser abafadas sob o pretexto taxativo de fomentar “pretenso entrevero”.

    Afinal, deixo claro aqui que esse não é e não foi minha intensão mas sim de ver um site tão respeitável entre os cervejeiros fazer jus ao que se propõe. Entre eles acredito, o de apresentar sempre a informação correta, sem tendenciosidades.

    Por isso que mantenho o afirmado, sem dramatizações, aguardando que ele seja visto mais como uma colaboração e não como uma forma de aumentar discórdia.

    Afinal, “Posso discordar de tudo aquilo que você diz,
    mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo”, como disse uma vez o sábio Voltaire.

    Quem sabe um dia continuaremos esse assunto tomando uma DIPA COLORADO ou ainda, uma PERIGOSA, a cerveja mais lupulada do Brasil.
    Forte abraço a toda a equipe do BREJAS.

Deixe um comentário

Você deve logar-se para postar um comentário.

Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: [email protected]

Cursos do Brejas

Participe dos cursos de cerveja do Brejas

  • Fabricação de Cerveja Caseira
  • Estilos e Degustação de Cerveja