Cervejas Inglesas – Parte I

Comentários
3.746 visitas

cedulapound2.jpg

Muitos dos brasileiros que viajam à Inglaterra e visitam os pubs britânicos retornam com a impressão de que cerveja inglesa é sinônimo de breja quente, “choca”, amarga e sem colarinho. Em alguns pubs, a impressão é verdadeira. Mas quase sempre não é culpa da cerveja, e sim da forma como é servida. BREJAS pôs à prova algumas cervejas da terra da Rainha que comumente são vendidas  no Brasil em empórios e lojas on-line. A seguir, as nossas impressões.

fullerspride.jpg

Pra começar, vamos às brejas da Fuller´s Brewery, cervejaria fundada em 1845. O primeiro rótulo avaliado na degustação foi o da London Pride, cerveja no estilo Premium Bitter (BJCP) com 4,7% de teor alcoólico, de coloração âmbar e um bom creme, mas de curta duração. No aroma, como é característico do estilo, muito lúpulo, além de malte e um leve frutado. O sabor, em linhas gerais, acompanha o aroma, adicionando a ele notas caramelizadas e tostadas. O final é longo, tostado, adstringente e refrescante, com excelente drinkability e pedindo o novo gole. Uma ótima cerveja, recebendo a nota 3,27 no Ranking BREJAS.

fullersporter.jpg

Da mesma cervejaria, a London Porter, possui coloração vermelho-escura intensa, com creme consistente mas pouco persistente e 5,4% de teor alcoólico. Como convém ao estilo, o aroma é predominantemente formado por café, chocolate amargo e malte torrado. Degustada acompanhada pelo chocolate meio-amargo, cresceu em drinkability, apresentando surpreendente desempenho (taí a dica!). O final é seco e amargo mas, amenizado pelo chocolate, deu pra brincar bem. No Ranking BREJAS, alcançou a nota 3,37.

fullersesb.jpg

A Fuller´s ESB (abreviação de Extra Special Bitter) é classificada, no BJCP, no mesmo estilo Premium Bitter da London Pride, mas as duas brejas guardam interessantes particularidades entre si. Esta aqui tem 5,9% de teor alcoólico, coloração âmbar intensa e creme branco pouco persistente e consistente. O aroma é perfumado de lúpulo, mas também contém presenças cítricas bem marcantes. No sabor, além do lúpulo, há malte-caramelo e toques amadeirados. Cerveja de final curto mas de conjunto equilibrado, ganhando a nota 3,48 no Ranking BREJAS.

No post de amanhã falaremos das demais cervejas inglesas disponíveis no mercado nacional degustadas pelo BREJAS. Cheers!

4 Respostas para “Cervejas Inglesas – Parte I”


  • […] anunciamos no post de ontem, falaremos das demais brejas britânicas disponíveis no mercado brasileiro, postas à prova pelos […]

  • 2 Rodrigo Campos

    A London Porter está entre as melhores cervejas que já provei. Não é a toa que ela é considerada uma referência para o estilo. Chocolate puro, delícia. Pena que aqui em Fortaleza não é possível comprá-la. Somente quando estou em São Paulo.
    Um aviso para a Boxer, tenta vender seus produtos por aqui que vai vender!

    Abraços.
    Rodrigo Campos
    Fortaleza-CE

  • 3 Mauricio (BREJAS)

    Grande Rodrigo.

    Não foi à toa que testamos a Porter juntamente com o chocolate amargo em barra. Deu pra ter a exata noção do estilo, além do que ficou de chorar de tão bom…

    Quanto à distribuição, acho que os importadores brasileiros ainda estão amedrontados demais, achando que as cervejas importadas não vão vender em algumas regiões do país. Também acho que é um medo injustificável. Coisa boa vende em qualquer lugar…

    Um abração.

  • 4 Carlos Henrique Bosenbecker

    Excelente como as cervejas esta pág. dá várias dicas sobre algums delas da “terra da rainha”.
    Eu tenho preferência por duas que não foram citadas, além dos rótulos lindos e um sabor “very special”:
    RUDDLES COUNTY e OLD SPECKELD HEN.
    Vale a pena conferir ou melhor, experimentar.
    Elementar meu caro Watson!

Deixe um comentário

Você deve logar-se para postar um comentário.

Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: [email protected]

Cursos do Brejas

Participe dos cursos de cerveja do Brejas

  • Fabricação de Cerveja Caseira
  • Estilos e Degustação de Cerveja