Arquivos do Autor para Ricardo Sangion

Avaliador +1000: Jean Chris

Comentários
522 visitas

Seguindo a já tradição de contarmos um pouco mais sobre os degustadores que passam de mil avaliações aqui no Brejas, agora chegou a vez de conhecermos um pouco mais sobre o Jean Chris.

Foi nos últimos dias de dezembro de 2014 que ele passou a marca de mil cervejas degustadas e avaliadas. Foram anos degustando: o Jean é um dos membros mais antigos e ativos da nossa comunidade, não só adicionando suas avaliações mas também cadastrando várias cervejas.

Jean Chris

Degusto cervejas desde 2007-2008 como hobby, pois sou Cirurgião Dentista especialista em Ortodontia e professor de cursos de pós-graduação nesta área. Atualmente, de certa forma, também passou a ser um trabalho, pois tenho dado cursos de degustação em cidades do Sul de Minas e Noroeste de São Paulo, além de degustar cervejas para algumas cervejarias e adequá-las ao estilo correto. Por isso, aproveitei que estava finalizando meu Mestrado na São Leopoldo Mandic em Campinas e fiz paralelamente o curso de sommelier em cerveja pelo Science of Bier Institute no Bar Brejas em 2014.

Perfil no Brejas: http://www.brejas.com.br/perfil/jean-chris
Cidade: Poços de Caldas/MG

Participa do Brejas desde: 19 Agosto de 2009
Cadastro de número: 1378
Primeira avaliação: 20 de Agosto de 2009
Completou 1.000 avaliações: 22 de Dezembro de 2014
Dias para 1.000 avaliações: 1929 dias (média de 0,52 cervejas por dia)

Estilo Favorito: English Pale Ale, Belgian Dubbel, German Pilsner, American Brown Ale, 1 estilo para cada escola.
Cerveja pra ter na geladeira: atualmente Backer Pilsen ou alguma German Pils para beber em maior quantidade, Sauber Beer Pumpkin Ale, Wäls Dubbel e Quadruppel para degustar e harmonizar, além da cerveja Monja daqui de minha cidade.

1. Como você conheceu o Brejas??
Dizem que todo Dentista tem um hobby, o meu era lutar judô, porém devido às lesões não serem compatíveis com a profissão, tive que me afastar depois de 25 anos de dedicação, então decidi que teria que adotar um novo hobby; foi tudo muito bem planejado. Depois de minha primeira viagem internacional, para Argentina em 2007, passei a ter interesse por cervejas “diferentes”, fotografava todas que bebia, enquanto meu pai, tios e seus amigos ficavam brigando para impor qual de suas cervejas standard lager brasileiras era a melhor. Não tive dúvida, decidi que iria estudar sobre cervejas já que era algo que eu gostava muito. Em minha primeira pesquisa sobre cervejas na internet encontrei o site Brejas; no início só fazia pesquisas, mas depois de um tempo resolvi me cadastrar.

2. O que mais te motiva a avaliar cervejas no Brejas??
Tiro fotos de todos os rótulos inéditos que bebo, atualmente tenho quase 1800 arquivadas, fotografo para lembrar, já que depois de certo número a memória falha. No início eu avaliava todas no site, sendo que as cervejas que eu não encontrava, eu cadastrava; hoje já não tenho tanto tempo assim. Minha motivação era ter um arquivo das cervejas para depois fazer meu blog, coisa que até hoje não saiu de projeto em minha cabeça. Outro fato que também me motivou bastante foi ter participado do 1º e do 2º encontro do Brejas, respectivamente em dezembro de 2009 e fevereiro de 2010, organizado pelos usuários do fórum; desta forma pude conhecer pessoalmente os colegas que postavam no site, além do Maurício Beltramelli e do Ricardo Sangion. Mantenho contato com muitos deles até hoje por facebook e em encontros cervejeiros pelo Brasil.

3. Você tem alguma estratégia específica para escolher suas cervejas?  Se baseia em alguma lista, dá preferência por algum estilo, aproveita alguma ocasião específica para encontrar novas cervejas??
Minha estratégia era comprar todas as cervejas ainda não degustadas que via pela frente. Hoje em dia com a grande alta dos preços e tamanha quantidade disponível de rótulos no mercado, ficou difícil, então compro os estilos que gosto, principalmente se estão com bons preços ou em promoção. Outra excelente estratégia é se reunir com grupos de amigos onde cada um leva um número específico de cervejas para serem divididas. Aqui em Poços de Caldas temos uma Confraria com encontros oficiais a cada 2 meses. Em viagens para o exterior também aproveito para degustar e trazer rótulos inéditos no Brasil, já que os preços são sempre muito menores que os nossos.

4. Quais seriam suas dicas e conselhos a quem ainda não criou coragem para começar a avaliar, ou avaliou apenas algumas e acabou desistindo??
Avaliar uma cerveja é contar uma história daquele exato momento onde tudo tem influência, a companhia, a harmonização, o local, o estado de espírito. Já escrevi avaliações completamente diferentes da mesma cerveja, já adorei cervejas que depois em outra ocasião não gostei tanto assim, da mesma forma como não gostei de algumas cervejas e depois em outra ocasião me apaixonei. Deixe para beber cervejas já conhecidas em momentos de descontração com os amigos. Separe as cervejas inéditas para aquele momento em que você possa se concentrar um pouquinho. Desenvolvi uma ficha de degustação que venho alterando sempre para que minhas avaliações se tornem mais rápidas e completas. Se você não escreve, não posta, não eterniza seus sentimentos acerca deste nosso delicioso hobby.

5. E qual a dica pra chegar nas 1.000 avaliações??
Gostar de cerveja, gostar de escrever nas horas vagas ou ao menos nos pequenos intervalos que você tenha durante o dia. Trace uma meta, como por exemplo, escrever uma avaliação por dia, desta forma, em menos de 3 anos você terá chegado a mais de 1000 avaliações.

Avaliadores +1000

Comentários
433 visitas

mil-cervejas

O primeiro semestre de 2014 vai ficar marcado em nossa história para sempre. Foi quando o Brejas atingiu uma das marcas mais bacanas desde que começamos, lá atrás, em agosto de 2007. Uma marca que tem um valor todo especial pra gente, talvez muito mais do que qualquer outra que tenhamos divulgado até hoje. Foi nada mais nada menos quando tivemos 4 avaliadores não fundadores do Brejas batendo a marca de 1.000 avaliações no nosso Ranking de Cervejas. Os donos desta façanha são:

Reconhecimento

Como forma de celebrar a marca inédita e também reconhecer o trabalho destes amantes da boa cerveja, vamos ajudá-los um pouquinho no trabalho, que nem sempre é fácil, de postar suas avaliações. A partir de hoje, as cervejas adicionadas pelos TOP10 avaliadores do Brejas serão publicadas automaticamente, sem necessidade de passar por moderação. É o nosso reconhecimento pela bagagem acumulada depois de muita, muita litragem.

Conhecendo um pouco mais cada um dos Avaliadores +1000

Ao longo desta semana poderemos conhecer um pouco mais sobre estes 4 avaliadores +1000. Vamos postar, aqui no Blog do Brejas, um bate-papo rápido com cada um deles. Fique ligado!

Nosso agradecimento

Quero, em nome do Brejas, agradecer ao Francisco, ao Jota, ao meu xará Ricardo e ao Anderson pela ajuda, pela dedicação, pela resiliência, por compartilhar um pouco de suas vidas com a gente e de suas descobertas com o mais de 1 milhão de pessoas que visitam o Brejas todos os anos. Agradeço também por incluirem centenas, talvez milhares de novas cervejas em nosso ranking. E como o Brejas é um grande trabalho em equipe, levado adiante pela nossa comunidade super participativa, nosso agradecimento se estende também a todos aqueles que contribuem, de uma forma ou de outra, com o nosso trabalho, ajudando a difundir a cerveja aos quatro cantos do Brasil. Fazendo avaliações, participando do Fórum, adicionando cervejas, bares e cervejarias, publicando fotos, compartilhando nosso conteúdo nas redes sociais. Sem vocês, o Brejas seria, com certeza, bem mais monótono.

MUITO OBRIGADO!

 

O ranking geral dos avaliadores vocês podem conferir aqui: http://www.brejas.com.br/degustadores

Cervejaria Therezópolis usa palavra “proibida” pela Fifa e perde R$ 400 mil

Comentários
11.101 visitas

TherezopolisGold

Um descuido durante o processo de criação custou caro a uma tradicional cervejaria de Teresópolis, cidade que abriga a Granja Comary e recebe a seleção brasileira no período de preparação antes da Copa do Mundo.

Ao não identificar a proibição do uso de marcas registradas pela Fifa para a Copa do Mundo sem prévia autorização, a “Therezópolis” produziu indevidamente a linha especial Therezópolis Gold para o Mundial e acabou tendo um prejuízo de aproximadamente R$ 400 mil. No rótulo das embalagens vendidas a R$ 37 aos comerciantes, a inscrição “Brasil 2014″ causava a polêmica.

O valor elevado do prejuízo corresponde às 10.800 garrafas recolhidas rapidamente dos pontos de comércio assim que o equívoco foi identificado pela empresa.

Alertado por vendedores e consumidores, a cervejaria, além de interromper a produção, teve que correr para retirar a cerveja de circulação e evitar um prejuízo ainda maior na esfera judicial.

Segundo comerciantes ouvidos pela reportagem, as garrafas não chegaram a ficar uma semana expostas na prateleira. A empresa disse que a ação de retirada para evitar danos maiores durou dois dias.

Além da Fifa proibir o uso expressão marcada nas garrafas, a CBF também poderia encrencar com a situação, já que as cinco estrelas da camisa foram igualmente reproduzidas.

Em contato com o UOL Esporte, a cervejaria confirmou o problema na produção, mas minimizou o dinheiro que deixou de ganhar. Segundo a “Therezópolis”, a linha não chegou a ser produzida em grande escala, o que poderia gerar um prejuízo considerável. Além disso, a cervejaria disse que estudava a hipótese de algumas garrafas serem reaproveitadas, trocando-se apenas o rótulo promocional usado de maneira indevida.

Problemas antigos

O problema com cervejarias da região serrana do Rio de Janeiro envolvendo a seleção não é inédito. Em 2010, no período da Copa do Mundo na África do Sul, a CBF acionou judicialmente o grupo Petrópolis por conta de um produto da linha “Crystal” que também utilizava a marca da entidade. Na época, a Justiça determinou que a empresa pagasse uma multa de R$ 10 mil à confederação.

Segundo o departamento jurídico da CBF, o processo está em fase de execução da pena, sendo feito o cálculo de quanto a cervejaria terá que pagar após o fim do imbróglio.

Fonte: UOL Copa

Cevada “fantasma” na Granja Comary: Declaração de Juca Kfouri causa terremoto na AmBev

Comentários
18.695 visitas

GranjaComaryCevada

Nota publicada agora há pouco pelo jornalista esportivo Juca Kfouri em seu blog causou comoção na AmBev. Com o título “Decepção: não tem plantação de cevada na Granja Comari”, o jornalista afirmava que, embora tivesse procurado, não havia encontrado a tal plantação do cereal a partir do qual, conforme a campanha veiculada em rede nacional, teria sido usado na cerveja “Brahma Seleção Especial”.

Em atualização feita há alguns minutos, Kfouri recebeu notícia dando conta que, por causa da nota, a gigante cervejeira estaria atolada de pedidos de indenização por parte de supermercados e consumidores que teriam se sentido enganados pela propaganda. “Minha avó já dizia que uma brincadeira que precise ser explicada vira drama”, ironiza o jornalista.

Veja a íntegra da postagem, publicada no Blog do Juca:

“Foram dois dias e meio de procura incansável.

Eu via na TV e, como gosto de uma cervejinha, tratei de procurar a plantação de cevada na Granja Comary.

Nada na segunda-feira, quando me orientei pela foto acima, da campanha publicitária.

Achei que estava fora de forma.

Voltei ontem e, outra vez, do lado oposto, nada de nada.

Tomei chuva hoje pela manhã, procurei, investiguei, perguntei aos companheiros se alguém tinha visto, pedi aos funcionários da Granja que me orientassem e a conclusão é desoladora: a tal cerveja especial anunciada não é feita com cevada da Granja Comary.

Alguém me disse que nem com cevada é, mas não acreditei, porque na garrafa diz que tem cevada e eu sou um cara de boa-fé.

Sim, também sei que a propaganda vive de metáforas, mas não precisava exagerar.

Atualização às 16h50:

Por incrível que possa parecer, a nota acima causou um terremoto na Ambev.

E, segundo a empresa, pedidos de indenização por parte de clientes e de devolução de mercadoria por parte de supermercados.

Prometeram mandar ao blog a tal gritaria e até agora o blog nada recebeu.

Mas é importante lembrar que minha avó já dizia que uma brincadeira que precise ser explicada vira drama.

É exatamente o que aconteceu com a nota.

De fato não existe a plantação, mas isso é tão importante como aqueles simpáticos bichinhos da Parmalat, que depois se soube era uma empresa objeto da operação Mãos Limpas, na Itália.

A empresa diz que a plantação não existe mais porque está dentro das garrafas pretas da cerveja especial.

Não é o que dizem os funcionários da Granja Comary, nem os especialistas em cerveja da região, pródiga na produção das artesanais e de qualidade.

Os funcionários contam que o que se plantou de cevada na Granja foi o suficiente apenas para fazer a campanha publicitária.

Os especialistas garantem que seria necessário tempo, pouco mais de três meses, e área muito maior, para plantar, colher, produzir e abastecer uma produção, mesmo que limitada, fruto de forte campanha na TV.

Enfim, o que era, como a cerveja, para sair na urina, virou uma crise.

Definitivamente, o mundo perdeu o senso de humor e, cá entre nós, é rigorosamente desimportante saber de onde vem a cevada, a não ser como criação publicitária.

Ou será que alguém acha mesmo que é verdadeira a situação daquele anúncio do posto de gasolina em que o astronauta manda descer na banguela para abastecer?

Por sinal, pode parar, que agora sou eu quem quer descer…”

Opine!

ATUALIZAÇÃO DO BREJAS, às 17h51

Este site recebeu há pouco por e-mail um “Comunicado Oficial Brahma”, com o seguinte inteiro teor:

“A Ambev repudia com veemência as falsas acusações a respeito do nosso plantio na Granja Comary, com Brahma Seleção Especial. A companhia plantou cevada na Granja Comary, como diversos documentos e fotos comprovam, e a colheita aconteceu no começo do ano de 2014. O cereal foi beneficiado, transformado em malte e utilizado na produção da cerveja. Se hoje não há cevada na Granja Comary, é justamente porque o cereal foi usado no produto que já está sendo comercializado no mercado.”

Tumba de 3 mil anos de chefe cervejeiro é achada no Egito

Comentários
1.538 visitas

tumba-mestre-cervejeiro-egito-arqueologia-efe

Especialistas japoneses descobriram em Luxor, no sul do Egito, uma tumba de um chefe da fábrica e o armazém de estoque de cerveja dedicados à deusa Mut na época Ramsés II (séculos XIII a XI a.C.).

O ministro egípcio de Antiguidades, Mohammed Ibrahim, anunciou em comunicado o achado da tumba, de grande beleza e que mostra importantes detalhes da vida cotidiana do dono da cervejaria, identificado como Junsu-Im-Heb, e sua família.

O chefe da equipe da universidade japonesa de Waseda, Jiro Kondo, explicou que o sepulcro foi descoberto enquanto eram feitos os trabalhos de limpeza para um estudo da tumba TT-47, pertencente a um alto funcionário da época do rei Amenhotep III.

Pinturas belas e delicadas

As pinturas murais mostram muitos aspectos da vida diária e da naturalidade da relação entre um marido e sua esposa e seus filhos no antigo Egito, assim como suas práticas religiosas, assinalou o ministro.

Outras gravuras mostram a admiração de diferentes pessoas antes de um ritual funerário que pertence à época faraônica e que é conhecido como “Abrir a Boca”.?

O teto da tumba também conta com desenhos “feitos com delicadeza” e com gravuras “de grande precisão e beleza”, assim como uma pintura que representa o pôr do sol.

Ibrahim anunciou que aumentou a segurança em torno da tumba até que sejam analisadas todas suas partes e explicou que planeja exibi-la ao público no futuro.

Fonte: Terra

Página 1 de 2412345...1020...Última »

Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: brejas@brejas.com.br

Cursos do Brejas

Participe dos cursos de cerveja do Brejas

  • Fabricação de Cerveja Caseira
  • Estilos e Degustação de Cerveja