Entre com o Facebook

Urbock 23°

http://www.brejas.com.br/media/reviews/photos/thumbnail/300x300s/1e/e7/b0/335_urbock_1223586210.jpg
 
2.8 (5)
 
3.3 (52)
5520   1   11
 
Escrever Avaliação

Informações

Importadora
Estilo
Álcool (%)
9.6% ABV
Ativa:
Temperatura
Copo ideal
Conhecida também como o "Conhaque das Cervejas", a Urbock 23º é uma cerveja duplo bock clara, com 23 graus de extrato primitivo e 9,6% de teor alcoólico. Uma cerveja que amadurece em caves durante 9 meses, até que esteja completamente fermentada e com sua bela cor dourada. Encorpada, possui sabor cremoso, bem equilibrado, com nobre amargor do lúpulo.

• Estilo: lager duplo bock (baixa fermentação) - 9,6% teor alcoólico
• Cor: clara, dourada e brilhante
• Amora: de malte e levemente vegetal, por conta da boa presença de lúpulo.
• Paladar : encorpado, com grande sabor de malte, suave e rico. No início traz notas de mel, com longa presença de lúpulo no final. Uma cerveja muito bem equilibrada e grandiosa.

Avaliações do Editor

Média de pontuação do editor por: 5 usuário(s)

Avaliação Geral 
 
2.8
Aroma 
 
6/10  (5)
Aparência 
 
3/5  (5)
Sabor 
 
11/20  (5)
Sensação 
 
3/5  (5)
Conjunto 
 
6/10  (5)

Cor dourada intensa levemente escurecida, creme branco bonito mas não tão persistente. Aroma de malte intenso, frutas cristalizadas e leve álcool. No rótulo esta escrito "one of the strongest beers in the world" e em destaque 23° URBOCK. O que leva a uma pequena confusão, pois ela tem 9,6% ABV, o que também já esta bom para o estilo. O "strongest" desta cerveja esta no corpo de malte intenso e um imediato adocicado acompanhado pela sensação alcóolica transformando-se num amargor forte que diminui sua drinkabilidade. O final é longo e amargo deixa o paladar com notas de nozes e álcool.
Avaliação Geral 
 
2.5
Aroma 
 
6/10
Aparência 
 
3/5
Sabor 
 
9/20
Sensação 
 
2/5
Conjunto 
 
5/10
Michel Wagner Analisado por Michel Wagner 26 de Junho de 2009
Avaliador Top 100  -   Veja todas minhas avaliações (367)

Cor dourada intensa levemente escurecida, creme branco bonito mas não tão persistente. Aroma de malte intenso, frutas cristalizadas e leve álcool. No rótulo esta escrito "one of the strongest beers in the world" e em destaque 23° URBOCK. O que leva a uma pequena confusão, pois ela tem 9,6% ABV, o que também já esta bom para o estilo. O "strongest" desta cerveja esta no corpo de malte intenso e um imediato adocicado acompanhado pela sensação alcóolica transformando-se num amargor forte que diminui sua drinkabilidade. O final é longo e amargo deixa o paladar com notas de nozes e álcool.

Detalhes

Degustada em
26/Junho/2009
Envasamento
Garrafa
Volume em ml
330 ml
Onde comprou
COOP, CH
Preço
CHF 2,80
Adicionar foto/arquivo
Considera esta avaliação útil? 
Clara, transparente, creme baixo e duração curta. Carbonatação média para baixa.

No aroma predomina o lúpulo e o álcool. O sabor é suave, apesar do alto teor alcoólico. Adocicada, corpo médio, chega a raspar um pouco na garganta, mas nada que desagrade.
Muito melhor que diversas malt liquor que se acha por ai, mas ainda nada que chegue a merecer destaque.
Avaliação Geral 
 
2.9
Aroma 
 
6/10
Aparência 
 
3/5
Sabor 
 
10/20
Sensação 
 
4/5
Conjunto 
 
6/10

Clara, transparente, creme baixo e duração curta. Carbonatação média para baixa.

No aroma predomina o lúpulo e o álcool. O sabor é suave, apesar do alto teor alcoólico. Adocicada, corpo médio, chega a raspar um pouco na garganta, mas nada que desagrade.
Muito melhor que diversas malt liquor que se acha por ai, mas ainda nada que chegue a merecer destaque.

Detalhes

Degustada em
01/Fevereiro/2009
Envasamento
Garrafa
Volume em ml
330 ml
Onde comprou
Supermercados Dalben
Preço
R$ 13,99
Adicionar foto/arquivo
Considera esta avaliação útil? 
Dourada, translúcida. Sabor acentuado, menos alcoólico do que parece à primeira vista. Agrada a quem busca uma cerveja forte, que tende para o "conhaque" do rótulo.
Avaliação Geral 
 
2.9
Aroma 
 
5/10
Aparência 
 
3/5
Sabor 
 
12/20
Sensação 
 
3/5
Conjunto 
 
6/10
Guilherme Scalzilli Analisado por Guilherme Scalzilli 20 de Novembro de 2008
Avaliador Top 50  -   Veja todas minhas avaliações (638)

Dourada, translúcida. Sabor acentuado, menos alcoólico do que parece à primeira vista. Agrada a quem busca uma cerveja forte, que tende para o "conhaque" do rótulo.

Detalhes

Envasamento
Garrafa
Adicionar foto/arquivo
Considera esta avaliação útil? 
A primeira coisa que se pode dizer dessa breja é que é bastante alcoólica, mas não senti esse álcool me agredir. Não se parece com uma doppelbock, no entanto. Aroma de mel e frutas cristalizadas. No sabor, o malte toma toda a frente. O lúpulo aparece no longo final amargo.
Avaliação Geral 
 
3.4
Aroma 
 
7/10
Aparência 
 
2/5
Sabor 
 
15/20
Sensação 
 
3/5
Conjunto 
 
7/10

A primeira coisa que se pode dizer dessa breja é que é bastante alcoólica, mas não senti esse álcool me agredir. Não se parece com uma doppelbock, no entanto. Aroma de mel e frutas cristalizadas. No sabor, o malte toma toda a frente. O lúpulo aparece no longo final amargo.

Detalhes

Degustada em
05/Novembro/2008
Envasamento
Garrafa
Volume em ml
330 ml
Onde comprou
Empório Biergarten - Ribeirão Preto
Adicionar foto/arquivo
Considera esta avaliação útil? 
Tomada em Genebra, nos foi apresentada como 23% de teor alcoólico. Depois é que constataram que não era nada disso. Foi como se, de repente, ela tivesse perdido o encanto. Todavia, ela é forte mesmo... Encorpada, maltada, deixa também o álcool no paladar, o que compromete sua drinkability. Mas vale experimentá-la pela sua singularidade.
Avaliação Geral 
 
2.5
Aroma 
 
5/10
Aparência 
 
2/5
Sabor 
 
11/20
Sensação 
 
2/5
Conjunto 
 
5/10
Daniel C. Analisado por Daniel C. 24 de Setembro de 2008
Avaliador Top 10  -   Veja todas minhas avaliações (1074)

Tomada em Genebra, nos foi apresentada como 23% de teor alcoólico. Depois é que constataram que não era nada disso. Foi como se, de repente, ela tivesse perdido o encanto. Todavia, ela é forte mesmo... Encorpada, maltada, deixa também o álcool no paladar, o que compromete sua drinkability. Mas vale experimentá-la pela sua singularidade.

Detalhes

Degustada em
14/Novembro/2007
Envasamento
Garrafa
Volume em ml
330 ml
Adicionar foto/arquivo
Considera esta avaliação útil? 
 

Avaliações dos usuários Ver todas as avaliações de usuários

Avaliação média dos usuários: 52 usuário(s)

Avaliação Geral 
 
3.3
Aroma 
 
7/10  (52)
Aparência 
 
3/5  (52)
Sabor 
 
14/20  (52)
Sensação 
 
3/5  (52)
Conjunto 
 
7/10  (52)
Para escrever uma avaliação por favor registre-se ou .
Cor de cobre clara com praticamente nenhuma espuma.
Sabor doce de maltes levemente tostados com notas de caramelo, castanhas, um pouco de conhaque, purê de maçã, leve herbáceo, vinho tinto, chocolate e ameixas. Retrogosto levemente seco.
Corpo perto de médio com boa carbonatação. Álcool de 9.6% abv está superbamente bem escondido, impressionante.
Eu usualmente não gosto de cervejas doces bem maltadas, mas esta aqui é uma “sipper” prazerosa. A última vez que a tinha provado fazia quase 2 anos, esta aqui bem melhor, e provavelmente não foi a cerveja que mudou...
Ap.2,75 Ar.3,75 Sab.3,75 Sens.3,75 Cj.3,75
Avaliação Geral 
 
3.7
Aroma 
 
8/10
Aparência 
 
3/5
Sabor 
 
15/20
Sensação 
 
4/5
Conjunto 
 
7/10
Francisco Lima Analisado por Francisco Lima 29 de Março de 2014
Avaliador #1  -   Veja todas minhas avaliações (1408)

Cor de cobre clara com praticamente nenhuma espuma.
Sabor doce de maltes levemente tostados com notas de caramelo, castanhas, um pouco de conhaque, purê de maçã, leve herbáceo, vinho tinto, chocolate e ameixas. Retrogosto levemente seco.
Corpo perto de médio com boa carbonatação. Álcool de 9.6% abv está superbamente bem escondido, impressionante.
Eu usualmente não gosto de cervejas doces bem maltadas, mas esta aqui é uma “sipper” prazerosa. A última vez que a tinha provado fazia quase 2 anos, esta aqui bem melhor, e provavelmente não foi a cerveja que mudou...
Ap.2,75 Ar.3,75 Sab.3,75 Sens.3,75 Cj.3,75

Detalhes

Degustada em
29/Março/2014
Envasamento
Garrafa
Onde comprou
Jumbo em Santiago
Adicionar foto/arquivo
Considera esta avaliação útil? 
Líquido translúcido de coloração dourada. Creme de baixa formação e breve. Presença de corpo residual.
Aroma e sabor remeteram a mel, caramelo, frutas amarelas cristalizadas, e álcool presente. Apresenta um dulçor maltado/frutado no sabor, que perdura até o final. No retrogosto, apenas o álcool se mantém presente.
Esses rótulos alcoólicos da Eggenberg não são fáceis de degustar, muito álcool, dulçor presente, e corpo leve, não gosto dessa combinação. Vale a experiência, mas o desequilíbrio desse rótulo me incomodou.
Avaliação Geral 
 
3.1
Aroma 
 
7/10
Aparência 
 
3/5
Sabor 
 
12/20
Sensação 
 
3/5
Conjunto 
 
6/10

Líquido translúcido de coloração dourada. Creme de baixa formação e breve. Presença de corpo residual.
Aroma e sabor remeteram a mel, caramelo, frutas amarelas cristalizadas, e álcool presente. Apresenta um dulçor maltado/frutado no sabor, que perdura até o final. No retrogosto, apenas o álcool se mantém presente.
Esses rótulos alcoólicos da Eggenberg não são fáceis de degustar, muito álcool, dulçor presente, e corpo leve, não gosto dessa combinação. Vale a experiência, mas o desequilíbrio desse rótulo me incomodou.

Detalhes

Degustada em
26/Outubro/2012
Envasamento
Garrafa
Volume em ml
330 ml
Adicionar foto/arquivo
Considera esta avaliação útil? 
Degustada com quase 1 ano e meio de guarda após validade.

Essa Schloss Eggenberg Urbock 23° é uma cerveja muito elegante, muito requintada, que se auto-define como uma Pale Double Bock. Na taça, sua apresentação é atraente. Ela possui coloração laranja-escura, bem puxado para um marrom-amadeirado ou âmbar muito denso e fosco. Exibe baixa translucidez (mesmo não sendo escura), pouca efervescência aparente e nada de sedimentos. Ela formou uma camada média, não muito espessa, de creme claro, espumoso, com bolhas pequenas, o qual assentou rapidamente sobre o líquido, restando fina película. Lacing nulo.

Seu aroma é forte e potente, desgarrando suas notas com grande facilidade. De cara, já é possível sentir a potência alcoólica, mas o buquê é muito mais de que isso. Sensações maltadas muito saborosas e predominantes. Notas de casca de pão, biscoito, mel, caramelo/toffee, butterscotch, malte tostado, amadeirado e defumado, frutas secas/cristalizadas (laranjas, tâmaras, damascos), nozes/amêndoas, baunilha, mascavo, uvas verdes, passas, cassis e lúpulo herbal/terroso já mais discreto. Buquê muito complexo e incrivelmente sem off-flavors. Realmente sofisticado, vinoso/licoroso, que cresce muito com o aumento da temperatura.

No paladar, o gole inicia crocante e doce. E essa doçura é tal que realmente reina na boca, com sua intensa característica caramelizada e com nuances tostadas/amadeiradas. É possível sentir ainda os condimentos de baunilha, canela e noz moscada, bem como mel e alguns dos ésteres frutados do aroma (laranja, damasco, passas, cassis). Toda essa carga complexa (e pesada) esconde um pouco o lúpulo, mas ele está presente, conferindo amargor final muito terroso. O final do gole é muito agressivo e intenso em picância, em álcool, chegando a amortecer a língua e a esquentar o céu da boca. Retrogosto duradouro, ainda picante/alcoólico com sensações de caramelo/toffee/mel, madeira/defumação, frutas secas e canela/mascavo. Corpo licoroso, muito sedoso. A carbonatação, mesmo com a guarda, mostrou-se mediana, conferindo muita crocância ao gole, algo que eu não achei adequado. Álcool muito potente, em proposta adequado, mas na prática sendo destoante ou enjoativo em momentos pontuais. Drinkability claramente limitada; o gole é visivelmente desequilibrado e muito doce tornando a degustação vagarosa. O álcool também não colabora. Ainda assim, como cerveja de inverno é um rótulo muito adequado.

Apesar de minha avaliação ser crítica em muitos pontos, eu gostei muito da Urbock 23°. Em geral, gosto bastante da Schloss Eggenberg que possui alguns rótulos ligeiramente acima da média, mesmo não sendo tão badalada. Essa Urbock 23° é realmente pesada, forçando uma degustação demorada. Mas isso acaba sendo bom, pois a cerveja ganha muita qualidade conforme vai esquentando na taça. Seu aroma consegue ficar ainda mais primoroso. Na boca, contudo, continua pesada, com álcool e doçura muito desgastantes. É uma bela opção em termos de Double Bock. Lembra vagamente alguns rótulos pesadões da Samichlaus. Recomendo facilmente!!!
Avaliação Geral 
 
3.8
Aroma 
 
8/10
Aparência 
 
4/5
Sabor 
 
15/20
Sensação 
 
3/5
Conjunto 
 
8/10
Luiz Felipe Malta Fernandes Analisado por Luiz Felipe Malta Fernandes 05 de Maio de 2013
Atualizado pela última vez: 05 de Maio de 2013
Avaliador Top 100  -   Veja todas minhas avaliações (348)

Degustada com quase 1 ano e meio de guarda após validade.

Essa Schloss Eggenberg Urbock 23° é uma cerveja muito elegante, muito requintada, que se auto-define como uma Pale Double Bock. Na taça, sua apresentação é atraente. Ela possui coloração laranja-escura, bem puxado para um marrom-amadeirado ou âmbar muito denso e fosco. Exibe baixa translucidez (mesmo não sendo escura), pouca efervescência aparente e nada de sedimentos. Ela formou uma camada média, não muito espessa, de creme claro, espumoso, com bolhas pequenas, o qual assentou rapidamente sobre o líquido, restando fina película. Lacing nulo.

Seu aroma é forte e potente, desgarrando suas notas com grande facilidade. De cara, já é possível sentir a potência alcoólica, mas o buquê é muito mais de que isso. Sensações maltadas muito saborosas e predominantes. Notas de casca de pão, biscoito, mel, caramelo/toffee, butterscotch, malte tostado, amadeirado e defumado, frutas secas/cristalizadas (laranjas, tâmaras, damascos), nozes/amêndoas, baunilha, mascavo, uvas verdes, passas, cassis e lúpulo herbal/terroso já mais discreto. Buquê muito complexo e incrivelmente sem off-flavors. Realmente sofisticado, vinoso/licoroso, que cresce muito com o aumento da temperatura.

No paladar, o gole inicia crocante e doce. E essa doçura é tal que realmente reina na boca, com sua intensa característica caramelizada e com nuances tostadas/amadeiradas. É possível sentir ainda os condimentos de baunilha, canela e noz moscada, bem como mel e alguns dos ésteres frutados do aroma (laranja, damasco, passas, cassis). Toda essa carga complexa (e pesada) esconde um pouco o lúpulo, mas ele está presente, conferindo amargor final muito terroso. O final do gole é muito agressivo e intenso em picância, em álcool, chegando a amortecer a língua e a esquentar o céu da boca. Retrogosto duradouro, ainda picante/alcoólico com sensações de caramelo/toffee/mel, madeira/defumação, frutas secas e canela/mascavo. Corpo licoroso, muito sedoso. A carbonatação, mesmo com a guarda, mostrou-se mediana, conferindo muita crocância ao gole, algo que eu não achei adequado. Álcool muito potente, em proposta adequado, mas na prática sendo destoante ou enjoativo em momentos pontuais. Drinkability claramente limitada; o gole é visivelmente desequilibrado e muito doce tornando a degustação vagarosa. O álcool também não colabora. Ainda assim, como cerveja de inverno é um rótulo muito adequado.

Apesar de minha avaliação ser crítica em muitos pontos, eu gostei muito da Urbock 23°. Em geral, gosto bastante da Schloss Eggenberg que possui alguns rótulos ligeiramente acima da média, mesmo não sendo tão badalada. Essa Urbock 23° é realmente pesada, forçando uma degustação demorada. Mas isso acaba sendo bom, pois a cerveja ganha muita qualidade conforme vai esquentando na taça. Seu aroma consegue ficar ainda mais primoroso. Na boca, contudo, continua pesada, com álcool e doçura muito desgastantes. É uma bela opção em termos de Double Bock. Lembra vagamente alguns rótulos pesadões da Samichlaus. Recomendo facilmente!!!

Detalhes

Degustada em
05/Maio/2013
Envasamento
Garrafa
Volume em ml
330 ml
Adicionar foto/arquivo
Considera esta avaliação útil? 
Amarelo intenso, brilhante. Espuma não se formou.
Aroma mostra notas de malte adocicado, leve grãos, mel, damasco, alcool e um quê de lúpulo. Na boca tem corpo alto, é licorosa e carbonatação baixa. O ataque é um álcool adocicado mas que não incomoda por há um amargor presente para balancear e também outras nuancias, como as frutas novamente. Uma sipping beer para um dia frio.

http://panelademalte.blogspot.com.br/
Avaliação Geral 
 
3.3
Aroma 
 
7/10
Aparência 
 
2/5
Sabor 
 
13/20
Sensação 
 
4/5
Conjunto 
 
7/10

Amarelo intenso, brilhante. Espuma não se formou.
Aroma mostra notas de malte adocicado, leve grãos, mel, damasco, alcool e um quê de lúpulo. Na boca tem corpo alto, é licorosa e carbonatação baixa. O ataque é um álcool adocicado mas que não incomoda por há um amargor presente para balancear e também outras nuancias, como as frutas novamente. Uma sipping beer para um dia frio.

http://panelademalte.blogspot.com.br/

Detalhes

Degustada em
20/Abril/2013
Envasamento
Garrafa
Volume em ml
330 ml
Onde comprou
Empório Serafina
Preço
12,30
Adicionar foto/arquivo
Considera esta avaliação útil? 
Coloração amarelo dourado bem clara lembrando até uma pilsner. Alguma formação e bolhas que também durou muito pouco no copo. Espuma mais rapidamente desfeita que já presenciei (certo desapontamento para um fã de um belo creme). No aroma já me remeteu algo como um licor e certo maltado que reconheço em brejas ibéricas. Mas no sabor, agora sim uma experiência! Talvez alguém poderia me enganar um dia e dar uma taça dessa breja falando ser um conhaque ou licor de boa qualidade. A potência do álcool bem equilibrado com o adocicado do malte esquenta os lábios e a garganta. Não percebo caramelo, talvez um pouco de mel, mas a baixíssima carbonatação apenas reforça a sensação licorosa. Realmente impressionado com essa breja, a melhor doppelbock que já provei de longe, tendo que de fato ser classificada especialmente como uma malt liquor!
Avaliação Geral 
 
3.0
Aroma 
 
4/10
Aparência 
 
2/5
Sabor 
 
13/20
Sensação 
 
4/5
Conjunto 
 
7/10
Diego Sartori Analisado por Diego Sartori 11 de Abril de 2013
Avaliador Top 1000  -   Veja todas minhas avaliações (21)

Coloração amarelo dourado bem clara lembrando até uma pilsner. Alguma formação e bolhas que também durou muito pouco no copo. Espuma mais rapidamente desfeita que já presenciei (certo desapontamento para um fã de um belo creme). No aroma já me remeteu algo como um licor e certo maltado que reconheço em brejas ibéricas. Mas no sabor, agora sim uma experiência! Talvez alguém poderia me enganar um dia e dar uma taça dessa breja falando ser um conhaque ou licor de boa qualidade. A potência do álcool bem equilibrado com o adocicado do malte esquenta os lábios e a garganta. Não percebo caramelo, talvez um pouco de mel, mas a baixíssima carbonatação apenas reforça a sensação licorosa. Realmente impressionado com essa breja, a melhor doppelbock que já provei de longe, tendo que de fato ser classificada especialmente como uma malt liquor!

Detalhes

Degustada em
11/Abril/2013
Envasamento
Garrafa
Volume em ml
330 ml
Adicionar foto/arquivo
Considera esta avaliação útil? 
 
Ver todas as avaliações de usuários
 

Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: brejas@brejas.com.br

Cursos do Brejas

Participe dos cursos de cerveja do Brejas

  • Fabricação de Cerveja Caseira
  • Estilos e Degustação de Cerveja
Entre com o Facebook