Entre com o Facebook
Samuel Adams Utopias

Samuel Adams Utopias Hot

http://www.brejas.com.br/media/reviews/photos/thumbnail/300x300s/1e/66/54/908_samadamsutopias_1238471528.jpg
 
4.1 (2)
 
4.6 (6)
25888   2   8
 
Escrever Avaliação

Informações

Álcool (%)
27% ABV
Ativa:
Sazonal
Temperatura
Copo ideal
Truly the epitome of brewing's two thousand year evolution, Samuel Adams Utopias® offers a flavor not just unlike any other beer but unlike any other beverage in the world. Its warm, sweet flavor is richly highlighted with hints of vanilla, oak and caramel.  With an alcohol content of 27% by volume, its complexity and sweet, malty flavor is reminiscent of a deep, rich vintage Port, fine Cognac or aged sherry while being surprisingly light on the palate.  And like the world’s finest after-dinner drinks, Samuel Adams Utopias is not carbonated and should be served at room temperature. In one of many examples where Samuel Adams Utopias pushed the boundaries of beer into the realm of other fine beverages, it received the highest recommendation (96-100 points) from the prestigious Wine Enthusiast Magazine (November, 2003 edition).

Avaliações do Editor

Média de pontuação do editor por: 2 usuário(s)

Avaliação Geral 
 
4.1
Aroma 
 
9/10  (2)
Aparência 
 
4/5  (2)
Sabor 
 
17/20  (2)
Sensação 
 
4/5  (2)
Conjunto 
 
8/10  (2)

Cor caramelo escuro, translucida, sem turbidez. Nao fez nada de espuma, nao mostrou nada de carbonatacao.

Aroma é forte e o álcool predomina. Lembra muito outros destilados de malte. Nao encontro nada no aroma que faca lembrar cerveja. A intensidade do álcool eh tanta que arde narinas e ate os olhos. Há um toque mentolado, leve, que me leva a crer que seja do lupulo, mas pode muito bem estar relacionado ao álcool também. Notas de um Vinho do Porto, so que mais suave, também aparecem.

O sabor que predomina eh doce e lembra madeira, melaço e cacau. Lembrou bastante um licor de cacau.
O final do gole eh forte e desce queimando.

Super licorosa, corpo médio-alto, e forte na sensação do álcool, que queima bem a boca e a garganta, novamente lembrando muito um destilado.

Interessante a experiência, mas realmente não posso dizer que é uma breja que eu repetiria com frequencia. Isso sem mencionar o preco.
Avaliação Geral 
 
3.6
Aroma 
 
8/10
Aparência 
 
4/5
Sabor 
 
15/20
Sensação 
 
2/5
Conjunto 
 
7/10
Ricardo Martins Sangion Analisado por Ricardo Martins Sangion 19 de Junho de 2012
Atualizado pela última vez: 19 de Junho de 2012
Avaliador #1  -   Veja todas minhas avaliações (1348)

Cor caramelo escuro, translucida, sem turbidez. Nao fez nada de espuma, nao mostrou nada de carbonatacao.

Aroma é forte e o álcool predomina. Lembra muito outros destilados de malte. Nao encontro nada no aroma que faca lembrar cerveja. A intensidade do álcool eh tanta que arde narinas e ate os olhos. Há um toque mentolado, leve, que me leva a crer que seja do lupulo, mas pode muito bem estar relacionado ao álcool também. Notas de um Vinho do Porto, so que mais suave, também aparecem.

O sabor que predomina eh doce e lembra madeira, melaço e cacau. Lembrou bastante um licor de cacau.
O final do gole eh forte e desce queimando.

Super licorosa, corpo médio-alto, e forte na sensação do álcool, que queima bem a boca e a garganta, novamente lembrando muito um destilado.

Interessante a experiência, mas realmente não posso dizer que é uma breja que eu repetiria com frequencia. Isso sem mencionar o preco.

Detalhes

Degustada em
29/Abril/2012
Envasamento
Garrafa
Volume em ml
50 ml
Onde comprou
Bar Brejas
Considera esta avaliação útil? 
Experimentar a cerveja mais alcoólica do mundo já estava entre os meus objetivos desde antes de desembarcar em Nova York, na minha viagem cervejeira aos Estados Unidos. Reconheço que fui ao pote com mais desconfiança do que sede. Com nada menos do que 25% de teor alcoólico, eu esperava beber muito mais uma espécie de Bierlikör (o licor de cerveja da Eisenbahn, que apesar de ser feito com cerveja, é licor) do que uma breja propriamente dita.

A Samuel Adams Utopias, elaborada pela Boston Beer Company, leva ao paroxismo o conceito de cerveja extrema. Proibida em diversos estados americanos em razão da sua força alcoólica, a breja leva maltes alemães e tchecos, além de lúpulos das variedades Saaz, Hallertau, Spalter, Mittelfrüh e Tettnanger. É envelhecida em barris de carvalho por onde já repousaram uísques e conhaques. Só foi brassada em três oportunidades, nos anos de 2002, 2005 e 2007. A cada produção, somente 8 mil de suas lindas garrafas de cerâmica emulando um tanque de mostura foram postas à venda no mundo todo. O preço inicial sugerido é de 100 dólares a garrafa mas, com as brejas esgotadas, alguns colecionadores pedem 500.

Pois foi no incrível Downtown Bar, no Brooklyn, que enfim experimentei a danada, ofertada pelo Robert Ayoub, amante de cervejas e proprietário do bar que tem a maior carta de loiras, ruivas e morenas de Nova York (850 brejas, e crescendo). A garrafa da Utopias (safra 2005), antes de pousar na nossa mesa, foi pinçada dentre as bebidas "quentes" do pub. Daí, me lembrei que a cerveja deve ser servida em temperatura ambiente, por mais estranho que pareça aos nossos costumes cervejísticos. E o festival de excentricidades dessa cerveja estava apenas começando.

A Utopias, em bares que ainda a possuem -- e são bem poucos -- é servida tal qual uísque, ou seja, em doses. Cada dose de 1 onça (cerca de 100 mililitros, ou um fundinho de copo) custa, no Downtown, absurdos 25 dólares (ou 55 reais, na cotação de hoje). Deitada à taça, a breja impressiona pela ausência total de carbonatação. Simplesmente não há espuma. "É licor", pensei, pela enésima vez. Até que aproximei do nariz o líquido cor de cobre radiante. Só então percebi a dimensão do meu preconceito.

Inicialmente o álcool se volatiza fortemente no aroma, em sugestões explosivas de conhaque, vinho do Porto e madeira de carvalho. Mas é na boca que a cerveja "explode" em notas pungentes de toffee, baunilha, frutas vermelhas, mais madeira de carvalho e... maltes e lúpulos! Ou seja, trata-se, efetivamente, de cerveja -- e não licor. A Samuel Adams Utopias, creiam-me, é extremamente complexa e difícil de ser descrita em palavras. Só experimentando.

E, para os degustadores que, como eu, não se cansam de buscar as mais utópicas brejas, resta um alento. A cervejaria tem planos de lançar, ainda neste ano, uma nova safra da Utopias. A conferir.

Avaliação Geral 
 
4.6
Aroma 
 
10/10
Aparência 
 
3/5
Sabor 
 
19/20
Sensação 
 
5/5
Conjunto 
 
9/10

Experimentar a cerveja mais alcoólica do mundo já estava entre os meus objetivos desde antes de desembarcar em Nova York, na minha viagem cervejeira aos Estados Unidos. Reconheço que fui ao pote com mais desconfiança do que sede. Com nada menos do que 25% de teor alcoólico, eu esperava beber muito mais uma espécie de Bierlikör (o licor de cerveja da Eisenbahn, que apesar de ser feito com cerveja, é licor) do que uma breja propriamente dita.

A Samuel Adams Utopias, elaborada pela Boston Beer Company, leva ao paroxismo o conceito de cerveja extrema. Proibida em diversos estados americanos em razão da sua força alcoólica, a breja leva maltes alemães e tchecos, além de lúpulos das variedades Saaz, Hallertau, Spalter, Mittelfrüh e Tettnanger. É envelhecida em barris de carvalho por onde já repousaram uísques e conhaques. Só foi brassada em três oportunidades, nos anos de 2002, 2005 e 2007. A cada produção, somente 8 mil de suas lindas garrafas de cerâmica emulando um tanque de mostura foram postas à venda no mundo todo. O preço inicial sugerido é de 100 dólares a garrafa mas, com as brejas esgotadas, alguns colecionadores pedem 500.

Pois foi no incrível Downtown Bar, no Brooklyn, que enfim experimentei a danada, ofertada pelo Robert Ayoub, amante de cervejas e proprietário do bar que tem a maior carta de loiras, ruivas e morenas de Nova York (850 brejas, e crescendo). A garrafa da Utopias (safra 2005), antes de pousar na nossa mesa, foi pinçada dentre as bebidas "quentes" do pub. Daí, me lembrei que a cerveja deve ser servida em temperatura ambiente, por mais estranho que pareça aos nossos costumes cervejísticos. E o festival de excentricidades dessa cerveja estava apenas começando.

A Utopias, em bares que ainda a possuem -- e são bem poucos -- é servida tal qual uísque, ou seja, em doses. Cada dose de 1 onça (cerca de 100 mililitros, ou um fundinho de copo) custa, no Downtown, absurdos 25 dólares (ou 55 reais, na cotação de hoje). Deitada à taça, a breja impressiona pela ausência total de carbonatação. Simplesmente não há espuma. "É licor", pensei, pela enésima vez. Até que aproximei do nariz o líquido cor de cobre radiante. Só então percebi a dimensão do meu preconceito.

Inicialmente o álcool se volatiza fortemente no aroma, em sugestões explosivas de conhaque, vinho do Porto e madeira de carvalho. Mas é na boca que a cerveja "explode" em notas pungentes de toffee, baunilha, frutas vermelhas, mais madeira de carvalho e... maltes e lúpulos! Ou seja, trata-se, efetivamente, de cerveja -- e não licor. A Samuel Adams Utopias, creiam-me, é extremamente complexa e difícil de ser descrita em palavras. Só experimentando.

E, para os degustadores que, como eu, não se cansam de buscar as mais utópicas brejas, resta um alento. A cervejaria tem planos de lançar, ainda neste ano, uma nova safra da Utopias. A conferir.

Detalhes

Degustada em
19/Março/2009
Envasamento
Garrafa
Onde comprou
Downtown Bar - Nova York
Considera esta avaliação útil? 
 

Avaliações dos usuários Ver todas as avaliações de usuários

Avaliação média dos usuários: 6 usuário(s)

Avaliação Geral 
 
4.6
Aroma 
 
9/10  (6)
Aparência 
 
4/5  (6)
Sabor 
 
19/20  (6)
Sensação 
 
5/5  (6)
Conjunto 
 
9/10  (6)
Para escrever uma avaliação por favor registre-se ou .
Sempre achei que seria muito difícil experimentar esta Breja aqui no Brasil, mas felizmente tive esta oportunidade! A Breja já impressiona logo de cara por sua garrafa belíssima, ao ser servida vemos um liquido cobreado, com total ausência de espuma não existindo carbonatação. No aroma temos frutas vermelhas, frutas secas (ameixa), baunilha e maltes. O álcool extremamente bem inserido, porem marcante, e o conjunto desta Breja a tornam unica, a degustação dela e um prazer único sendo difícil de descrever, durante a degustação você se pergunta se esta tomando uma cerveja, um licor ou um conhaque. Aconselho a todos que tiverem oportunidade não exitem em degustar!
Avaliação Geral 
 
4.2
Aroma 
 
8/10
Aparência 
 
4/5
Sabor 
 
17/20
Sensação 
 
4/5
Conjunto 
 
9/10
Luciano AL de Oliveira Analisado por Luciano AL de Oliveira 23 de Julho de 2012
Atualizado pela última vez: 24 de Julho de 2012
Avaliador Top 500  -   Veja todas minhas avaliações (10)

Sempre achei que seria muito difícil experimentar esta Breja aqui no Brasil, mas felizmente tive esta oportunidade! A Breja já impressiona logo de cara por sua garrafa belíssima, ao ser servida vemos um liquido cobreado, com total ausência de espuma não existindo carbonatação. No aroma temos frutas vermelhas, frutas secas (ameixa), baunilha e maltes. O álcool extremamente bem inserido, porem marcante, e o conjunto desta Breja a tornam unica, a degustação dela e um prazer único sendo difícil de descrever, durante a degustação você se pergunta se esta tomando uma cerveja, um licor ou um conhaque. Aconselho a todos que tiverem oportunidade não exitem em degustar!

Detalhes

Envasamento
Garrafa
Volume em ml
50 ml
Onde comprou
Melograno
Preço
R$ 75,00 (dose)
Considera esta avaliação útil? 
Degustada no meu aniversário e ainda trouxe a garrafa pra minha coleção. Achava que seria semelhante à linha Xyauyu, mas pouco lembra esta cerveja italiana. Como ela, é nula em carbonatação e muito densa, como um licor. Entretanto, mostra-se mais encorpada e com aroma e sabor mais complexos, que nos trazem madeira, canela, ameixa e chocolate. Na boca, realmente pode ser estranhada para quem não está acostumado a bebidas mais fortes, mas não considerei que o álcool, embora fortemente presente, desconjuntasse o equilíbrio dela. Sensacional.
Avaliação Geral 
 
4.3
Aroma 
 
9/10
Aparência 
 
3/5
Sabor 
 
19/20
Sensação 
 
4/5
Conjunto 
 
8/10

Degustada no meu aniversário e ainda trouxe a garrafa pra minha coleção. Achava que seria semelhante à linha Xyauyu, mas pouco lembra esta cerveja italiana. Como ela, é nula em carbonatação e muito densa, como um licor. Entretanto, mostra-se mais encorpada e com aroma e sabor mais complexos, que nos trazem madeira, canela, ameixa e chocolate. Na boca, realmente pode ser estranhada para quem não está acostumado a bebidas mais fortes, mas não considerei que o álcool, embora fortemente presente, desconjuntasse o equilíbrio dela. Sensacional.

Detalhes

Degustada em
03/Junho/2012
Envasamento
Garrafa
Onde comprou
Melograno
Preço
75 (dose)
Considera esta avaliação útil? 
Cor marrom escuro, com reflexos avermelhados, lembrando licor de cacau. Textura super licorosa.Sem espuma.
Aroma de malte, caramelo, melado, licor de cacau, frutas escuras secas (ameixa,uva passa, figo),frutas vermelhas maduras (amora,framboesa), nozes, amadeirado, chocolate, baunilha, rum e álcool bem destacado.Aroma muito complexo e potente.
No paladar malte, caramelo, chocolate, melado, leve amadeirado, frutas vermelhas e escuras.Álcool bem presente mas contido, textura licorosa e sensação quente na boca e na garganta.Retrogosto levemente amargo. Paladar igualmente complexo.
Belíssima cerveja. Muito aromática e complexa.
Avaliação Geral 
 
4.6
Aroma 
 
10/10
Aparência 
 
3/5
Sabor 
 
19/20
Sensação 
 
5/5
Conjunto 
 
9/10
Flavio Roese Analisado por Flavio Roese 30 de Junho de 2011
Veja todas minhas avaliações (1)

Cor marrom escuro, com reflexos avermelhados, lembrando licor de cacau. Textura super licorosa.Sem espuma.
Aroma de malte, caramelo, melado, licor de cacau, frutas escuras secas (ameixa,uva passa, figo),frutas vermelhas maduras (amora,framboesa), nozes, amadeirado, chocolate, baunilha, rum e álcool bem destacado.Aroma muito complexo e potente.
No paladar malte, caramelo, chocolate, melado, leve amadeirado, frutas vermelhas e escuras.Álcool bem presente mas contido, textura licorosa e sensação quente na boca e na garganta.Retrogosto levemente amargo. Paladar igualmente complexo.
Belíssima cerveja. Muito aromática e complexa.

Detalhes

Degustada em
25/Junho/2011
Envasamento
Garrafa
Onde comprou
Melograno
Preço
R$ 75,00 (dose)
Considera esta avaliação útil? 
Por onde começar a descrever uma cerveja que não parece com nenhuma outra cerveja?

Sem espuma, sem carbonatação, a olho simples parece um bom conhaque ou um licor, com aquela espessura típica dessas bebidas.

No aroma, a princípio senti o álcool, o que me deixou com medo de estar prestes a degustar um "pingão". Uma chacoalhadinha circular de leve na taça e mais uma fungada me fizeram perceber mutíssimas mais características aromáticas: vinho do porto, carvalho, frutas vermelhas secas...

No sabor, o elevado teor alcóolico não é perceptível do jeito que eu pensei, as outras características do seu sabor mascaram muito bem o álcool. Há notas de vinho do porto, madeira, frutas vermelhas, licor, toffee, muito complexa para descrever. Há aquele adocicado alcóolico típico de barley wines, há caramelo, há o sabor de carvalho e de "maturado" de algumas vintages, há lúpulo. Tudo contido em um líquido escuro e denso, que dá prazer em beber, mas dá pena de acabar.

Uma cerveja dificilima de ser descrita, muito complexa e única. Realmente uma experiência muito gratificante poder prová-la.

Uma cerveja "mais barata" e que eu achei que é a que mais se assemelha à Samuel Adams Utopias é a deliciosa (e em extinção) Thomas Hardy's Ale... não chega lá mas é o mais perto que encontrei por preço menor.
Avaliação Geral 
 
4.8
Aroma 
 
10/10
Aparência 
 
4/5
Sabor 
 
19/20
Sensação 
 
5/5
Conjunto 
 
10/10
David Brun Analisado por David Brun 23 de Abril de 2010
Avaliador Top 500  -   Veja todas minhas avaliações (59)

Por onde começar a descrever uma cerveja que não parece com nenhuma outra cerveja?

Sem espuma, sem carbonatação, a olho simples parece um bom conhaque ou um licor, com aquela espessura típica dessas bebidas.

No aroma, a princípio senti o álcool, o que me deixou com medo de estar prestes a degustar um "pingão". Uma chacoalhadinha circular de leve na taça e mais uma fungada me fizeram perceber mutíssimas mais características aromáticas: vinho do porto, carvalho, frutas vermelhas secas...

No sabor, o elevado teor alcóolico não é perceptível do jeito que eu pensei, as outras características do seu sabor mascaram muito bem o álcool. Há notas de vinho do porto, madeira, frutas vermelhas, licor, toffee, muito complexa para descrever. Há aquele adocicado alcóolico típico de barley wines, há caramelo, há o sabor de carvalho e de "maturado" de algumas vintages, há lúpulo. Tudo contido em um líquido escuro e denso, que dá prazer em beber, mas dá pena de acabar.

Uma cerveja dificilima de ser descrita, muito complexa e única. Realmente uma experiência muito gratificante poder prová-la.

Uma cerveja "mais barata" e que eu achei que é a que mais se assemelha à Samuel Adams Utopias é a deliciosa (e em extinção) Thomas Hardy's Ale... não chega lá mas é o mais perto que encontrei por preço menor.

Detalhes

Envasamento
Garrafa
Onde comprou
Melograno
Preço
R$75 (dose)
Considera esta avaliação útil? 
(ver comentarios no artigo para "semana do leitor no blog")
Avaliação Geral 
 
4.9
Aroma 
 
10/10
Aparência 
 
4/5
Sabor 
 
20/20
Sensação 
 
5/5
Conjunto 
 
10/10
Mauro Renzi Ferreira Analisado por Mauro Renzi Ferreira 02 de Fevereiro de 2010
Avaliador Top 500  -   Veja todas minhas avaliações (80)

(ver comentarios no artigo para "semana do leitor no blog")

Detalhes

Degustada em
02/Fevereiro/2010
Envasamento
Garrafa
Volume em ml
550 ml
Onde comprou
Melograno
Preço
R$75,00 (dose de 50ml)
Considera esta avaliação útil? 
 
Ver todas as avaliações de usuários
 

Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: brejas@brejas.com.br

Cursos do Brejas

Participe dos cursos de cerveja do Brejas

  • Fabricação de Cerveja Caseira
  • Estilos e Degustação de Cerveja
Entre com o Facebook