Bares que Amamos – DELIRIUM CAFE

Comentários
824 visitas

deliriumcafe1.JPG

Em Bruxelas, Bélgica.

Sim, eu sei que a capital belga tem excelentes museus, o Atomium e uma miríade de atrações culturais. Mas – que me perdoem os belgas mais empedernidos e os amantes da cidade – confesso que fui a Bruxelas com apenas dois objetivos em mente: A Grand Place e o Delirium Cafe. E, já que este é um blog sobre cerveja, é deste último que falarei.

Dizem que o Delirium Cafe consta no Guiness Book of Records como o bar que possui a maior carta de cervejas no mundo, com mais de 2 mil rótulos disponíveis. Jamais abri o livrão pra conferir, mas é bastante provável que seja verdade. Fica num beco (mais um bar de beco…) perto da Galeria St. Hubert, centrão de Bruxelas. Na frente, uma escultura meio tosca a uma certa Janeka Piss, bonequinha mijona criada em contraposição ao famoso Maneken Piss, símbolo da cidade. Lá dentro, uma decoração de sonho: milhares de placas de cervejas forram as paredes e outras milhares de bandejas cobrem o teto do único bar do mundo que vende on tap a breja Delirium Tremens, a famosa cerveja do elefantinho cor-de-rosa.

O bar tem dois ambientes. O salão superior sai para a rua e é mais arejado. O inferior, subterrâneo, é onde fica um pequeno balcão atrás do qual os bartenders se desdobram para atender à multidão de clientes, os quais precisam disputar atenção se quiserem ser servidos. Daí que, em finais de semana, conseguir uma das milhares de cervejas do cardápio pode se transformar em uma odisséia para fortes.

Uma visita ao Delirium Cafe, pra quem está de passagem por Bruxelas e tem tempo contado, necessita de um certo planejamento cirúrgico-degustativo. Afinal, em um bar que tem as cervejas mais raras do mundo, você não vai querer perder tempo tomando uma Skol brasileira (sim, também tem…). Peça a “carta” de cervejas – que na verdade tem mais jeito de ser um livro – e procure por aquela breja que você não encontrou em lugar nenhum e não pode morrer sem experimentar.

E, se der tempo, conheça o Atomium e os museus de Bruxelas…

MAURICIO BELTRAMELLI

Turma do BREJAS

————————Mais fotos do Delirium Cafe—————————-

deliriumcafe3.JPG

O balcão, ainda vazio naquela hora da tarde.

deliriumcafe4.JPG

Este humilde escriba e a “carta” de cervejas.

deliriumcafe2.JPG

Decoração: Sonho de todo dono de bar…

deliriumcafe5.JPG

Piso superior

deliriumcafe6.JPG

No cardápio, curiosidades antropológicas de terras distantes (alguém aí já experimentou “Samba do Brazil” ou “Lokal Bira”?)

deliriumcafe7.JPG

“Janeka Piss”, a resposta botequeira ao Maneken Piss

6 Respostas para “Bares que Amamos – DELIRIUM CAFE”


  • Olá,

    um blog a mais sobre cervejas, no sentido literal cai muito bem.
    Talvez assim o gosto de algumas pessaos, mudem um pouco.
    Por que as cervejas nacionais industrializadas, são péssimas e o gosto do brasileiro é de cerveja extremamente gelada.
    O mundo da cerveja que ainda estou conhecento é rica em diversidades e se engana totalmente quem pensa que as cervejas são todas amargas.
    Realmente esse Café Delirium tem um cardápio monstruoso, seria ótimo um lugar com metade dessas cervejas aqui em São Paulo.
    Mas temos a padaria Tortula que não chega perto, mas é bem diversificada
    Fico por aqui,

    Wagner.

  • Tem toda razão, Wagner!
    A intenção final do BREJAS é exatamente essa.
    Grande abraço.

  • Muito legal a dica sobre o Delirium café, devo ir a Paris no fim de novembro e pretendo esticar até Bruxelas pra conhecer o Delirium. Grand Place? que Grand Place? uahauhaha Aliás já estive na Bélgica e as minhas melhores lembranças foram as cervas que tomei em Brugges e Leiden . Aliás? Por que “Brejas”? Abs

  • Caríssimo xará Mauricio,
    Minhas humildes congratulações pelo blog. Espetacular! Por favor, não pare de atualizar.
    Estive há duas semanas na Europa e passei um dia especialmente na Bélgica.
    Sorte ou não, encontrei a Westvleteren de cara em Bruxelas, em uma loja chamada Beermania. Inclusive o dono, um Iraniano chamado Nasser, entrega no Brasil (mas o frete é uma bica)

  • Sussumu,

    Realmente, como apontado por você, há ocasiões nas quais a Westvleteren é mais facilmente achada em locais como Bruxelas e até Amsterdam. Mas há outras épocas do ano em que é praticamente impossível achá-la. Talvez seja pela “entressafra” dos monges, sei lá…

    Valeu mesmo pela dica!

    Um grande abraço e obrigado pelos elogios.

  • […] desde 1987, o FrangÓ é hoje o principal templo da cerveja no Brasil. Mal comparando, é o nosso Delirium Cafe. Nas paredes, uma infinidade de pôsteres e relíquias relacionados à cerveja do mundo todo, […]

Os Comentários estão suspensos.


Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: [email protected]