Revista Veja: A ascensão das cervejas artesanais

Comentários
4.143 visitas

VejaCapaA mais importante revista semanal do Brasil — e uma das mais lidas no mundo — publicou, na edição que está nas bancas do país, a reportagem “Geladas mas fervendo”, retratando o atual crescimento das cervejarias artesanais brasileiras.

No texto da matéria, que contou com a colaboração da sommelier de cervejas Cilene Saorin, são citadas as microcervejarias Schornstein (Pomerode-SC), Bamberg (Votorantim-SP) e Falke Bier (Ribeirão das Neves-MG).

De quebra, ainda são revelados números animadores, como o faturamento esperado para o setor em 2011 e a subida vertiginosa do mercado das chamadas cervejas super premium (importadas e artesanais), que entre 2008 e hoje cresceu incríveis 79%.

A revista Veja possui tiragem superior a 1 milhão de exemplares semanais. Clique nas caixas abaixo para ler a reportagem:

4 Respostas para “Revista Veja: A ascensão das cervejas artesanais”


  • 1 Fernando M Pacheco

    É sempre legal ver a grande mídia dar espaço para a nova cultura cervejeira. Mas essa matéria é meio preguiçosa. Além do pequeno erro geográfico (Ribeirão das Neves cidade paulista?), falham ao associar a Devassa Bem Loura ao grupo das cervejas “super premium”. Na primeira página dizem que as cervejas “super premium” tem maior proporção de malte, não usam xarope como fonte de carboidratos nem aditivos químicos. Na página seguinte afirmam que a Devassa Bem Loira é representante do grupo “super premium”. Já experimentei essa loira e ela está bem longe disso…

  • Notei isso também. Matéria comprada? Será que a Cilene deixaria passar esse erro grosseiro?

  • nao sei se fico feliz ou triste com a materia, porque vindo de uma revista como a veja, nao consigo esperar coisa boa… eh otimo ver a cultura da boa cerveja ganhar mais e mais adeptos, mas acho que nao precisamos da grande midia pra isso… em todo lugar que a grande midia vai, a coisa se populariza de um jeito que nao gostariamos, pois comeca a virar coisa “do povao” e dai ja sabemos pra onde vai a qualidade…

  • Acho que, no caso das cervejarias artesanais brasileiras que são sérias (e aqui vou puxar a sardinha pro lado das Mineiras Falke Bier e Wals, minhas prediletas) não precisamos nos preocupar com a qualidade.

    Muita coisa que sai na Veja vira “moda”. E definitivamente as artesanais exigem um paladar mais apurado, e a grande maioria das pessoas tem a péssima mania de dizer que cerveja (assim como outras bebidas e alguns tipos de comida) é tudo igual e não vale a pena pagar mais caro. São as mesmas pessoas que usam arroz comum pra fazer risoto e dizem que dá na mesma que fazer com arroz arbóreo.

Deixe um comentário

Você deve logar-se para postar um comentário.



Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: [email protected]