Cadastre-se

Detalhe da Avaliação

Alemanha Mauricio BeltramelliMauricio Beltramelli 12 de Outubro de 2010 4436
Avaliação Geral 
 
4.1
Aroma 
 
8/10
Aparência 
 
4/5
Sabor 
 
17/20
Sensação 
 
4/5
Conjunto 
 
8/10
Esta Professor Fritz Briem 1809 é do estilo Sour Ale, sub-estilo Berliner Weisse, este caracterizador de cervejas de trigo que passam por fermentação espontânea (láctica) produzidas no Norte da Alemanha. Estilo raro trata-se de especialidade de Berlim, conhecida desde os anos 1600, e que teria sido chamada de “A Champanhe do Norte” por Napoleão Bonaparte em 1809 (Guerras Napoleônicas). Curiosamente o estilo teria surgido na cidade de Hamburgo. De coloração clara (dourada, amarelo palha etc) e colarinho generoso, mas fugaz, apresenta aroma e sabor dominados por salgado, trigo, frutado cítrico, acidez expressiva (menos que uma lambic) e baixo amargor. O corpo é leve, a carbonatação é elevada e o final é bastante seco, e, aliado ao baixo teor alcoólico, se apresenta extremamente refrescante. Não se presta à guarda e pode ser degustada ao natural ou, para atenuar a acidez, com a adição de xarope de frutas (Himbeersaft) ou de ervas (Waldmeistersaft).

Destinada ao mercado americano é produzida exclusivamente para a importadora americana B. United International pelo Dr. Fritz Briem em sua cervejaria experimental em Munique. Ele é o Diretor de Tecnologia do Instituto Doemens, fundado em 1895, e é responsável por recriar estilos esquecidos e por propagar/ensinar a arte e a tecnologia cervejeira. A receita leva 50% de malte de trigo e o mosto é apenas aquecido e depois é transferido para tanques de fermentação onde atuarão leveduras e bactérias.

Vintage 2012 – validade não estabelecida. A garrafa é de 500 ml, cor marrom, tampa dourada. O rótulo é muito bonito, traz em segundo plano o mapa da Alemanha, em letras de cor laranja o ano ‘1809’, bem como a graduação alcoólica (ABV 5,0%), a expressão ‘Brewed in the traditional style of the Berliner Weisse’ e se apresenta tomado de textos em inglês que: 1) contam a história do estilo (registros documentais datados de 1600); 2) citam as impressões sensoriais olfativas e gustativas; 3) mencionam o fato de que Napoleão Bonaparte teria comemorado sua vitória na Prússia com esta breja; 4) informa que a breja foi fabricada pelo método tradicional, sem fervura do mosto; 5) diz tratar-se de exemplar de uma série histórica de estilos esquecidos fabricados pelo Dr. Fritz Briem, do Instituto Doemens; 6) que Napoleão e as tropas teriam caracterizado a breja como elegante e energética. No contra-rótulo vislumbram-se alertas direcionados às mulheres grávidas e aos motoristas e o endereço da importadora nos EUA.

Vertida na taça o líquido revelou uma coloração amarelo palha, levemente opaca e com boa translucidez. Não filtrada e não pasteurizada apresentou sedimentos no fundo da garrafa. A espuma de cor branca formou-se de modo abundante, como boas consistência e cremosidade e bolhas médias no topo. A manutenção é mediana e as bolhas (perlage) são numerosas e pequeninas.

O aroma se apresenta com boa intensidade, sobressaindo azedume moderado e frutado cítrico de maça e suco de limão. Percebe-se ainda malte de trigo, leveduras e uma lembrança de mofo. O diminuto amargor de lúpulo (IBU 09) restou subjugado pela acidez, mas há uma sensação de amargor cítrico e herbal. Não percebi aromas animais e o álcool volatiza sutilmente.

No paladar o líquido amplifica as sensações olfativas, restando mais salientes a acidez láctica e o frutado cítrico de sumo de limão e maça, mas aquela não chega a assustar. A base maltada confere bom equilíbrio e se percebe malte de trigo, além de leveduras. O amargor de lúpulo é bastante discreto, mas percebe-se um caráter cítrico e herbal bem ao gosto americano. O final se apresenta seco e picante. O retrogosto é ácido e adstringente. O álcool de ABV 5,0% é um pouco acima dos padrões do estilo, mas vem bem inserido. De caráter efervescente apresentou corpo médio-leve e carbonatação média-alta. A drinkability é excelente, bebe-se fácil e é uma ótima pedida para dias quentes.

O conjunto se mostrou bastante refrescante e a inusitada combinação ácido/cítrico/azedo agradou bastante, sendo degustada ao natural e sem adereços (xaropes). Foi o segundo exemplar do estilo Berliner Weisse que degustei.

Recomendo muito!

Detalhes

Degustada em
05/Julho/2014
Envasamento
Volume em ml
500 ml
Onde comprou
Preço
U$ 5,00
Denunciar esta avaliação Considera esta avaliação útil? 0 0

Comentários

Para escrever uma avaliação registre-se ou faça seu .

Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: [email protected]

Cadastre-se