Cadastre-se

Detalhe da Avaliação

3.9 117
Bélgica
Daniel Calicchio
Daniel Calicchio
08 de Setembro de 2008 23618
Avaliação Geral
 
4.0
Aroma
 
9/10
Aparência
 
4/5
Sabor
 
16/20
Sensação
 
3/5
Conjunto
 
8/10
Graças aos preços altos de cervejas importadas aqui no Brasil, uma boa solução para os amantes da boa bebida, acaba sendo cervejas importadas por grandes empresas. Uma das reclamações mais frequentes do pessoal cervejeiro é, "por que diabos a AMBEV não expande a importação da sua linha premium?". A Hoegaarden Grand Cru se encaixa nessas aí. A mais clássica Witbier de todas, vem em uma versão mais bombada, trazendo os aromas cítricos e picantes já conhecidos da versão original, mas sem o caráter leve das Witbier.
Mostrou coloração, amarelo, bem pálida e com bem pouca traslucidez, assim como sua irmã mais nova. O creme é de coloração branca, formando-se em grande volume, mostrando boa persistência e textura cremosa.
Os aromas cítricos se sobressaem, lembrando laranja e abacaxi, fazendo contraponto com o robusto maltado que remete a mel e aveia. Ao fundo, notas frutadas de banana e damasco, e tons de pimenta e flores.
A doçura dos maltes, mostra-se bem evidente, contrastando com uma acidez cítrica e frutada e até um pouco de amargor. A picância do coentro e dos fenóis também é bem intensa, mais evidente do que na Hoegaarden tradicional. O álcool acabou mostrando-se muito evidente, prejudicando a leveza do conjunto, perdendo bastante para a Hoegaarden regular neste quesito. Ainda tem alta carbonatação, corpo médio e macio.
Não dá para negar que é uma Hoegaarden. A cerveja deixa na cara o DNA da família, mas com um perfil menos sutil, chegando até a desequilibrar um pouco, principalmente para quem está acostumado com a leveza da tradicional Witbier.

Detalhes

Degustada em
09/Outubro/2011
Envasamento
Denunciar esta avaliação Considera esta avaliação útil? 0 0

Comentários

Para escrever uma avaliação registre-se ou faça seu .
Cadastre-se