Cadastre-se

Falando de cerveja - Brejas

A comunidade do Brejas falando abertamente sobre cerveja

Trocas internacionais e cervejas raras

 

b2ap3_thumbnail_10635777_10205839728783378_1989987591153146534_n.jpg

 

Olá galera cervejeira,

 

 

Há alguns anos tenho o hobby de trocar cervejas raras internacionalmente. Recentemente alguns cervejeiros e degustadores daqui têm me procurado com interesse em trocar e saber sobre trocas, valores de brejas e etc. Me propus a montar esse guia para facilitar a vida de quem quer começar.

  

  1. Tenha uma adega. Não há de se falar de troca se não se tem algumas cervejas desejaveis. Primeiro é nescessário ter o prazer de guardar algumas cervejas para consumo posteior (é dificil aprender) e o investimento na estrutura fisica e rótulos top. Alem do conhecimento sobre guarda e estilos.

     

  2. Se informe, e procure ter lista de cervejas desejadas, e de cervejas disponiveis. Organização facilita muito e pode te ajudar a enxergar suas oportunidades. Se você não sabe o que quer, ninguém vai saber, e para saber o que quer é nescessário conhecer. Conhecer as cervejarias top de cada estilo que dos você gosta, as melhores ou bechmarks de cada estilo. Por exemplo, não sou fan de Weiss, mas troquei 2 cervejas Sepultura da Bamberg por 2 Cuvee Delphine da Struise com um Holandes pois o cara é metaleiro como eu, e falamos mais de metal que de cerveja, e chegamos no acordo só por esse interesse comum.

     

  3. Dê o devido valor ao que se tem disponivel, nem pra mais nem pra menos, suas brejas valem o que valem no mercado de trocas. Não vai conseguir Bourbon County Vanilla ou Barrel Aged Dark Lord oferecendo as bazucas, por mais raras ou em quantidade que sejam não tem valor de mercado, o caso acima foi uma exceção. É importante estar atento ao que temos disponivel nas lojas do Brasil. Cantillon, Drie Fonteinen, Prairie, Evil Twin, Brewdog, To Ol, etc são raras mesmo nos EUA, e ai mora a oportunidade. Saber quais rotulos são top e onde oferecer (eua ou europa).

     

  4. As trocas começam pela internet e levam tempo e dedicação para serem concluidas, tenha paciencia e educação, alem de não caber ingenuidade no mundo de hoje. Os sites mais usados são o ratebeer.com e o beeradvocate.com. Ratebeer para trocar com os europeus, e Beeradvocate com os americanos. Ambos os sites têm seu próprio conjunto de regras referentes a trocas. Alerto ao fato de que não é possível receber brejas pelo correio no Brasil, nunca tentei pois sei que quem tentou se ferrou, as brejas não chegam. Todas minhas 18 trocas internacionais foram em mãos, nos festivais ou visitando o local. Todas começaram pela internet e levaram tempo de negociação até acertar o que vai e o que volta. Aja com antecedência a sua viagem, faltando uma semana pra sua ida não vai conseguir trocar nada. As negociações, na minha experiência, levam em torno de 2 a 4 semanas. já tive troca que negociei por 2 meses..

     

  5. Antes de iniciar um tópico nesses sites se informe sobre o valor de mercado das suas cervejas oferecidas e desejadas. A melhor fonte de informação é a experiencia, mas sem ela, opte por pesquisar nos fóruns de troca as cervejas em questao e veja o que esta sendo ofertado e desejado. Dois sites colocam valores financeiros pra vender cerveja de segunda mao, mybeercellar.com e mybeercollectibles.com Os valores servem de referencia para as futuras trocas, não recomendo comprar.

     

  6. Seja honesto. A comunidade cervejeira internacional não é tao grande como pensamos, na verdade é quase um feudo. As pessoas se conhecem, logo é melhor não se queimar se pretende se desenvolver nesse ambiente. Ouvi historia de um cervejeiro do beeradvocate que não entregou as brejas prometidas, ficou com as brejas que recebeu, e se ofereceu depois de meses de pressao a pagar pelas brejas que recebeu... hoje ele resolveu abrir uma Cervejaria nos eua. A comunidade em peso já esta queimando o lugar, e ainda nem inaugurou... Caracter conta muito.

     

  7. Gentileza abre portas, e as mantem abertas. Minha primeira troca foi muito instrutiva: O Sueco me entregou as brejas prometidas e mais 3 de presente. Eu só havia levado o combinado... mas aprendi na hora! SEMPRE entregue mais do que o prometido. Mesquinhez vai contra os principios de quem quem trocar breja top. As “extras” concluem uma boa relação entre as partes, e fazem a fama positiva. Tenho entregado no minimo 2 brejas boas brasileiras pra cada troca internacional, isso me favoreceu muito nas comunidades. Para se ter uma ideia de como troca é mais camaradagem do que produto por produto: Negociei uma segunda troca com o mesmo Sueco no ano seguinte em Copenhagen, não chegamos a concluir pois ele andava muito ocupado, sem tempo pra negociar... La em Copenhagen quando me encontrou me deu de Presente uma AleSmith Barrel Aged Speedway Stout, só por generosidade. Eu tirei as brejas top que tinha na mala e deixei ele escolher... É assim que funciona.

     

  8. Nem todo cervejeiro é gente boa. Assumir padroes de comportamento educados, justos e generosos não farao com que o mundo tenha menos babacas. Existem babacas na cena do metal, no mundo dos vinhos, na cerveja artesanal e em todo lugar. Nao dá pra saber sobre indole, e caracter nas conversas pela internet. Se proteja, e que sua generosidade seja de acordo com o que pode fazer. Busque o equilibrio financeiro no processo de troca, seja generoso nos extras.

     

  9. Não exagere nas quantidades, por exemplo, se vai para um festival recomendo levar no maximo 24 garrafas entre trocas e extras. Existe um conflito de interesse nesse aspecto, cada um quer a maior quantidade possível de brejas que você tem e eles não, mas é mais interessante trocar com mais de uma pessoa já que você tem limite do numero de garrafas e peso para transportar. Ao trocar com mais de uma pessoa no mesmo festival, você tem acesso a mais cervejas, mais turmas diferentes, e reduz o risco de conhecer poucas ou uma só pessoa que não é legal.

     

  10. A volta das cervejas na mala provavelmente merece uma publicacao inteira, da embalagem a alfandega existe uma jornada. Importa dizer que a alfandega não esta nem ai pra cerveja, eles querem eletronicos e coisas caras de griffe. O Limite são 12 litros de bebida importadas na mala, da pra trazer umas 12 garrafas por mala, ou 20 se quiser exagerar. O que pode te ferrar é a má embalagem, se quebrar uma garrafa na mala, alem do caos com suas roupas e objetos pessoais, a alfandega pode resolver olhar a mala que esta vazando... resumindo, bastante plastico bolha, envelopagem bem feita e lacrada com durex, longe das bordas da mala e entre as roupas, sem tocar umas nas outras.

 

 

 

Espero que tenha contribuido com os confrades, qualquer duvida estou a disposição. Abaixo seguem os links de interesse geral sobre trocas:

 

 

http://www.beeradvocate.com/community/threads/beer-trading-rules-tips.229/

http://www.thebeerexchange.io/

http://www.ratebeer.com/Forums/Forum-5.htm

http://www.talkbeer.com/

http://www.reddit.com/r/beertrade

 

https://mybeercellar.com/

http://www.mybeercollectibles.com/

 

Saúde

 

Top 10 Cervejas (Disponíveis no Brasil) que Degust...
Cervejaria Bastards Brewery recebe medalha de ouro...

Related Posts

Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: [email protected]

Cadastre-se