Arquivos do Autor para FiL CruX

FiL CruX: as 50 CERVEJAS mais marcantes de 2017

Fechado
5.012 visitas

Janeiro chegando ao fim e com ele a cobrança por parte de muitos conhecidos sobre a divulgação das cervejas mais marcantes que degustei pela primeira vez no ano anterior.

Estamos indo para quinta edição desse ranking e talvez ele tenha sido o mais trabalhoso se comparado aos anos anteriores – 2016, 2015, 2014 e 2013. Pois tive a oportunidade de tomar muita cerveja acima da média e isso dificultou bastante a composição da lista. Felizmente!

Ressalto que como eu imaginei no final de 2016, em 2017 a cena cervejeira brasileira evoluiu consideravelmente em relação à qualidade e o número de nacionais entre as 50+ cresceu.

A exemplo das edições anteriores, mais uma vez boa parte dessas cervejas foi degustada em festivais e bottle shares! Logo, quero agradecer a todos que participaram das nossas brincadeiras improvisadas ao longo do ano. ;o)

Listei também as 20 nacionais que mais me agradaram no período (sem ordem de preferência).

Para finalizar eu desejo a todos um 2018 com muita saúde e recheado de cervejas A+!

 

#50 – DÁDIVA / AVÓS / MAFIOSA Tripelbock 28
#49 – CASITA Querido Y Perdido
#48 – TUPINIQUIM Manjar Negro
#47 – HOCUS POCUS Prog #41
#46 – DE STRUISE Zombination VI (Alassane “Destroyer of Worlds”)
#45 – DOGMA Tart Blond – Vinho Branco
#44 – OTHER HALF Third Anniversary Imperial IPA
#43 – 5 ELEMENTOS Reserve 2017
#43 – MAD DWARF Kriek Fromboise
#42 – LOST ABBEY PX 7
#41 – OCEÂNICA Yellow Cloud (LA III)
#40 – SINGLECUT DDH Softly Spoken Magic Spells
#39 – FFF Crack the Skye
#38 – ALESMITH / MIKKELLER Beer Geek Speedway
#37 – KUHNHENN Bourbon Barrel Fourth Dementia Olde Ale 2012
#36 – WICKED WEED BA French Toast
#35 – TREE HOUSE Bright (w/ Citra)
#34 – MONKISH Lost Cat
#33 – OTHER HALF Twice Baked Potato
#32 – OTHER HALF DDH Motueka + Galaxy
#31 – PRAIRIE Pirate Paradise
#30 – TREE HOUSE Haze
#29 – CASCADE Noyaux
#28 – OMNIPOLLO Jesus Mud
#27 – TOPPLING GOLIATH DDH Pseudo Sue
#26 – GOOSE ISLAND Bourbon County Brand Coffee STOUT 2017
#25 – TRILLIUM DDH Summer Street
#24 – TREE HOUSE Doubleganger
#23 – OTHER HALF DDH Cabbage
#22 – BISSELL BROTHERS Swish
#21 – GREAT NOTION JUICE BOX
#20 – HILL FARMSTEAD Madness & Civilization #10
#19 – TREE HOUSE Somewhere Something Incredible is Waiting to be Known
#18 – SIDE PROJECT Pulling Nails (Blend #3)
#17 – BALADIN Xyauyu Silver Label 2007
#16 – CASEY The Mix – Peach Bank
#15 – THE VEIL Broz Night Out
#14 – TRILLIUM Dialed in (Chardonnay & Gewurztraminer Juice)
#13 – FINBACK Between the Dead
#12 – BARREL CULTURE Summer Jam – Passion Fruit
#11 – CANTILLON Fou’Foune 2016
#10 – TRILLIUM / PRAIRIE  TrillBOMB!
#09 – GREAT NOTION Double Stack
#08 – CIGAR CITY Good Gourd Have Mercy
#07 – HANSSENS Oude Kriek Handgeplukte Schaerbeekse Kireken
#06 – TREE HOUSE Hold On To Sunshine
#05 – CASEY Leaner (9/03/16)
#04 – SAMUEL ADAMS Utopias 2011
#03 – PERENNIAL Maman 2015
#02 – KANE A Night To End All Dawns
#01 – FFF Dark Lord Marshmallow Handjee 2015

 

NACIONAIS

=> 5 ELEMENTOS Reserve 2017
=> OCEÂNICA Yellow Cloud (LA III)
=> HOCUS POCUS Prog #41
=> TUPINIQUIM Manjar Negro
=> DÁDIVA / AVÓS / MAFIOSA Tripelbock 28
=> HOCUS POCUS Rabbit Hole
=> TRILHA Mango Triple Juicy EAP
=> DOGMA Tart Blond – Vinho Branco
=> BODEBROWN Wee Heavy Wood Aged Series Amburana
=> MAD DWARF Kriek Fromboise
=> DOGMA Magnus Opus
=> SYNERGY Hop it Up
=> WAY Catarina
=> AVÓS A Véia Viaja
=> EVERBREW Balance
=> HERÓICA Cryo Hoperation
=> CROMA Pipeline
=> OCTOPU’S Garden
=> NARCOSE Mora Mora
=> TRILHA Cafézin

 


Fil CruX
Beer Sommelier ávido por cervejas *A+* . É também um apreciador de música extrema e colecionador de miniatura de carros da PSA.

FiL CruX: as 50 CERVEJAS mais marcantes de 2016

Comentários
2.882 visitas

photogrid_1484185828232-01-1

Mais um ciclo cervejeiro se fechou em 2016 e com ele veio a tarefa de elencar as cervejas mais marcantes que tive a oportunidade de degustar pela primeira vez durante o ano.

O trabalho dessa vez foi mais prático do que em anos anteriores – 2015, 2014 e 2013 -, pois muitas das cervejas que bebi não receberam pontuação suficiente para entrar na briga. E isso facilitou um bocado as coisas.

Quase que a totalidade das cervejas da lista tem origem além-mar, contudo, 2016 repetiu a façanha de 2015 e novamente tivemos brasileiras entre as 50+! Eu sinceramente fiquei muito feliz com isso. Algo me diz que em 2017 será ainda melhor neste sentido.

Observo ainda que a imensa maioria dessas cervejas foi degustada em bottle shares! Logo, quero agradecer a todos que participaram das nossas brincadeiras improvisadas ao longo do ano (vocês tem participação direta no resultado deste ranking). ;o)

Ah, mais abaixo listei também as 10 nacionais que mais me agradaram no período (sem ordem de preferência).

Bom, por enquanto é isso. Para finalizar eu desejo a todos um 2017 recheado de cervejas A+ e muita saúde!

#50 – NIGHT SHIFT Quasar
#49 – PIPEWORKS Lupine
#48 – CYCLE Nooner Batch 8
#47 – JACKIE O’S Dark Apparition 2014
#46 – BRUERY Smokey and the Bois
#45 – TIRED HANDS High Road
#44 – WICKED WEED Golden Angel
#43 – SURLY Darkness 2013
#42 – GREAT RHYTHM Hi-Fi
#41 – TOPPLING GOLIATH PseudoSue
#40 – WICKED WEED Angel of Darkness
#39 – BRUERY Grey Monday 2013
#38 – HOCUS POCUS Overdrive
#37 – WICKED WEED Red Angel
#36 – DOGMA RIZOMA
#35 – FOLEY BROTHERS Fair Maiden IIPA
#34 – CIGAR CITY Lactobacillus Guava Grove
#33 – KUNHNHENN Solar Eclipse 2010
#32 – THE VEIL Weekend at Broznies
#31 – HALF ACRE Double Daisy Cutter
#30 – ALCHEMIST Focal Banger
#29 – OSKAR BLUES BA Ten Fidy 2016
#28 – CIGAR CITY Good Gourd Almigthy
#27 – BOTTLE LOGIC Strangematter 2015
#26 – OTHER HALF DDH All Citra Everything
#25 – BUXTON / OMNIPOLLO Yellow Belly Sundae
#24 – MIKKELLER 40 Smaragd
#23 – JACKIE O’S Bourbon Barrel Black Maple
#22 – OTHER HALF / TRILLIUM Like Whoa
#21 – DE GARDE Apricot Bu
#20 – ALMANAC Grand Cru Ed 2
#19 – PERRIN No Rules Vietnamese Porter 2016
#18 – SARA Farmhouse Noir (Batch 3)
#17 – OUD BEERSEL Oude Geuze Vieille 2007
#16 – J WAKEFIELD Miami Madness
#15 – GOOSE ISLAND Bourbon County Regal Rye Stout
#14 – WICKED WEED Bourbon Barrel Aged Oblivion
#13 – FLOSSMOOR STATION Bourbon BA Hi-fi Rye Wine
#12 – OUD BEERSEL Bzart Geuze Cuvée 2011
#11 – GOOSE ISLAND Proprietor’s Bourbon County Brand Stout 2015
#10 – OMNIPOLLO Noa Pecan Mud Cake Stout (Double Barrel Aged Islay Whisky/Cognac)
#09 – TREE HOUSE Very Green
#08 – SIDE PROJECT Saison du Fermier (Batch 3)
#07 – CIGAR CITY Life is Like…
#06 – PERENNIAL Abraxas
#05 – TRILLIUM DDH Congress Street
#04 – BRUERY Black Tuesday Reserve 2015
#03 – BOTTLE LOGIC Darkstar November 2016
#02 – ALESMITH Speedway Stout BA Vietnamese Coffee 2014
#01 – GOOSE ISLAND Rare BCBS 2015

NACIONAIS

=> DOGMA Rizoma
=> TRILHA Melonrise
=> WAY Imperial Mangue Stout
=> HOCUS POCUS Overdrive
=> MAD DWARF Golden Dubbel – Wine Barrel Aged
=> DOGMA Citra Lover
=> KOALA SAN Livin’ the Dream
=> DOGMA Estígma
=> QUATRO GRAUS Quintuppel Oak Aged
=> DOGMA Branca de Brett (batch #2)

 


FiL CruX
Beer Sommelier ávido por cervejas *A+* . É também um apreciador de música extrema e colecionador de miniatura de carros da PSA.

Brasil: terra de grandes oportunidades para cervejas que não impressionam, mas que também não ofendem

Comentários
3.490 visitas
enhanced-buzz-6492-1330456564-1
Foto: captiontool.com

Sabe aquela cerveja com viés artesanal que você beberia a tarde toda em uma confraternização com amigos, num churrasco ou mesmo sozinho sem que pra isso você não precisasse abraçar o cheque especial? Daquelas que a qualidade não impressiona, mas que também não ofende? Pois é. Até alguns anos atrás eu diria que a única que enquadraria neste range era alguma Eisenbahn.

Entretanto, o mercado como um todo cresceu e a Eisenbhan não acompanhou as expectativas dos consumidores (principalmente depois de sua aquisição pela Schin e posteriormente pela Brasil Kirin). Ficando estagnada com o seu portfólio que já passa dos 10 anos de idade sem praticamente nenhum lançamento relevante. Ou seja, ao passo que mais pessoas começaram a desbravar o mundo das artesanais mais cobranças por cervejas acessíveis ($$$) e de qualidade aceitável  se tornaram praticamente uma unanimidade na cena cervejeira.

Contudo, por diferentes razões (investimentos tímidos, sistema tributário, atravessadores, margens questionáveis de cervejarias que produzem para ciganas e também de PDVs etc) esse vácuo teimava em existir. Porém tudo indica que tal cenário começou a passar por uma mudança. Recentemente chegaram ao mercado algumas cervejas artesanais que custam abaixo de R$ 10 e que entregam um conjunto sensorial bem honesto. Destaques para a brasileira Maniacs IPA (comercializada como Session IPA  mas que na verdade é uma APA) e a sueca Pistonhead Flat Tire.

photogrid_1477569234899Foto: Divulgação

E como a Maniacs vem conseguindo trabalhar sua cervejas de entrada com preços tão agressivos? Algumas das explicações passam pela escala de produção – enquanto a maioria das pequenas cervejarias (especialmente as ciganas) produzem bateladas de 2 mil litros, a Maniacs começou com 25 mil – e também pelo fato deles contarem como uma rede de distribuição própria.

Resumindo: se mantiverem a consistência e os preços, certamente essas cervejas terão espaço cativo nos copos de grande parte do mercado cervejeiro. E naturalmente abrirão caminho para outras cervejarias que adotarão estratégias parecidas. Além disso, é bom frisar que o mercado brasileiro tem espaço para quase todas as propostas. Para finalizar: ao menos que você seja o  Guilherme Tosi (o cara que toma mais Rizoma do que Omeprazol :o) ), ter algumas brejas mais em conta pra substituir a Heineken velha de guerra nos churras da vida, me parece algo animador, não é mesmo?


FiL CruX
Beer Sommelier ávido por cervejas *A+* . É também um apreciador de música extrema e colecionador de miniatura de carros da PSA.



Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: [email protected]