Faça sua garota, enfim, gostar de cerveja!

17 Comentários
15.896 visitas

Conselhos úteis pra transformar sua cara-metade em uma companheira de cervejada

beerwoman2

Por Bar Brejas (*)

Desde a adolescência você sonhava que um dia ia cair no teu colo aquela menina legal, inteligente, divertida, e que, ainda por cima, era gostosa. Essa seria a sua namorada, e talvez, forçando um pouco a barra, sua futura mulher. Vocês se divertiriam juntos pelas baladas e pelos bares. Pelos bares? Sim, porque essa menina linda e gostosa dos seus sonhos iria curtir uma cervejinha assim como você.

O tempo passou, a Lusitana girou e então pintou a tua gata. Ela é mais ou menos do jeito que você sonhava, algumas coisas a mais outras a menos, não importa. Deu liga, rolou química e vocês curtem se divertir  pelas baladas e pelos bares, com uma terrível diferença: ela não gosta de cerveja. Não tanto quanto você, pelo menos. Pra ela, cerveja é “amarga”, ruim, eca. Nos bares, ela prefere vinho, caipivodka, daiquiri, ou até mesmo, horror dos horrores, coquetel de frutas sem álcool.

Primeiro, saiba do que ela NÃO gosta

Nada de desespero, meu bom guerreiro! Conheci um cervejeiro que me disse certa vez que se uma pessoa diz que não gosta de cerveja é porque ainda não encontrou a cerveja certa pra ela. Com a imensa variedade de tipos de cerveja que existem de uns tempos pra cá no Brasil, é moleza você transformar a sua gata numa apreciadora de cervejas assim como você. A gente te ensina o caminho das pedras pra você atingir esse sonho que parece impossível – mas não é.

Pra começo de conversa, nove entre dez chances de a sua musa não curtir a cerveja que um dia foi apresentada pra ela. E, nove entre dez chances que essa cerveja foi aquela “pilsen” do boteco. Então, partamos do princípio: Tua garota não gosta de PILSEN! Mas e os outros estilos? Arregace as mangas, e vamos ao trabalho!

Cervejas de frutas: Tiro certeiro

Comece levando-a a um bar que tenha no mínimo umas vinte opções de cervejas diferentes. Alie esse requisito a um ambiente legal e que não vá assustá-la (ambientação é uma das “frescuras” mais apaixonantes nas mulheres…). Bom atendimento (com staff que saiba falar sobre as cervejas) e existência de copos ideais pra cada breja são fundamentais pra essa nova experiência!

Tua gata gosta de caipirinhas e coquetéis de frutas? Ótimo, você já começou o jogo com o controle de bola: Mande descer as cervejas de frutas pra ela! De saída, pra surpreender mesmo, uma Bacchus Frambozenbier, que vem embalada como presente e tem gosto de framboesas frescas. Emende com cervejas com adição de cerejas, como as Kasteel Rouge ou St. Louis Kriek. Quer que ela se sinta como se estivesse comendo o doce da vovó? Tente a brasileira Sauber Pumpkin Ale, com abóbora e um toque irresistível de cravo.

Para as chocólatras

Ok, ela é chocólatra. Sem pânico! A breja inglesa Well´s Double Chocolate Stout tem adição de chocolate de verdade na receita, e tem aroma parecido com aquele ovo de Páscoa que você deu pra ela uma vez. Outras cervejas não contém o doce na formulação, mas seus maltes são tão caprichosamente torrados que são como se tivessem, caso da nacional Falke Ouro Preto ou da inglesa Fuller´s London Porter.

In vino veritas

Então ela se liga em vinho? Aí é que você vai brilhar! Há uma enorme oferta de cervejas que possuem toques vínicos, com muitos aromas e sabores bem parecidos. Pra ela se sentir em casa, uma ótima opção é a belga Gouden Carolus Cuvée Van de Kaiser Blauw, cuja garrafa também é vedada a rolha, como os bons vinhos. Vá além e apresente a ela outras brejas clássicas: Fuller´s Vintage Ale (maturada em barris de carvalho), Gouden Carolus Classic, Samichlaus Classic, e tantas outras (se o bar for realmente bom, pergunte ao garçom, ele te ajudará).

E que tal surpreender apresentando à sua cara-metade cervejas brasileiras com ingredientes inusitados? A linha Colorado, de Ribeirão Preto, é a pedida: Cauim (com mandioca), Appia (com mel), Indica (com rapadura) e Demoiselle (com café) arrebentam.

Cervejas infinitas

Há inúmeras outras opções de cervejas excelentes pra contemplar o fino paladar da patroa, como Fuller´s Honey Dew (com mel), Well´s Banana Bread (isso mesmo, com banana), Sauber Ginger Ale (com gengibre), Margriet (com rosas)… Tudo vai da sua sensibilidade como macho-alfa e príncipe dos sonhos dela, o cara que a entende melhor do que ninguém e saberá exatamente o que ela quer. O seu desafio – e como guerreiro que é, você não é de recusar desafios – é “casar” os gostos dela com as cervejas que tem à mão.

E assim, gafanhoto, você transformará aquela gatinha bebedora de coisinhas docinhas mimimi em uma companheira de cervejada pra vida toda, pode escrever aí! Agora, se mesmo depois de tentar essas barbadas todas que eu te passei ela ainda não se ligar em cerveja, mesmo que seja umazinha só, aí meu amigo… Considere a hipótese de substituição de cara-metade. Sem medo. Com tanta cerveja diferente dando sopa por aí, não gostar de nenhuma é diagnóstico certeiro de chatice congênita e incurável.

Logo_BarBrejas_pequeno

 

O Bar Brejas é a casa controlada por este site em Campinas (SP).

 

————————————–

ATUALIZAÇÃO: Acompanhamos, com alegria, que a matéria acima está gerando uma grande repercussão nas mídias sociais. Que bom! Se você, blogueiro, desejar copiar esse texto em seu blog, sinta-se à vontade, e nos sentiremos honrados! Só não esqueça de citar a fonte, OK?

17 Respostas para “Faça sua garota, enfim, gostar de cerveja!”


  • O duro vai ser bancar essas cervejas premium pra gata se ela viciar…

  • O problema se ela gostar realmente de uma cerveja de um preço, digamos, exorbitante, ai teria eu de começar a bancar a tal cerveja, prejuízo na certa, deixa ela beber a caipirinha de kiwi e saquê que esta tudo bem assim mesmo.

  • Ah, o segredo é prestar atenção nos hábitos alimentícios…
    Minha namorada gosta de tomar IPA, acompanhada de algo que não seja gorduroso (um sanduiche de queijo no pão integral =D)

  • E se o seu namoradO não curte muito cerveja, mas adora um whisky?

  • Diana,
    Belo gancho pra uma próxima matéria! Por enquanto, te digo que um dos mantras mágicos que respondem a sua questão é: “OLA DUBH”… “OLA DUBH”… Hehehehhh…
    Um beijo!

  • Se nada disso der certo, faça como eu: Hoegaarden. Essa não tem escapatória! Na falta dela, qualquer outra Witbier…

  • Ótima dica pros rapazes… Agora onde tá os caras solteiros que bancam todas essas gostosuras pras meninas? rs

  • Mas eu penso ao contrário, minha namorada não gosta de alcool em geral, acho isso ÓTIMO, quem volta dirigindo? hahahaha

  • Amei a reportagem.
    “Dê-me uma mulher que ame a cerveja e eu conquistarei o mundo.”
    Kaiser Wilhelm

    E o mais incrível é que nós mulheres também não vivemos a mercê dos homens para ter que descobrir a cerveja. Podemos nós mesmas, sair e buscar novos horizontes. O quê?????Você mulher, tendo que aguentar aquele cara chato que só gosta das mimimi pilsenzinhas!!! Hahahaha, canta de galo pra lá!!Rs. Beba Menos, Beba Melhor!!
    bjo

  • Sensacional matéria, vai servir para muito, mas FELIZMENTE para mim não vai ser necessária tendo em vista que foi um encontro da ACervA Paulista que reuniu eu e minha atual namorada. Hoje tomo bronca quando bebo sozinho, ela quer provar todas e aprecia e avalia direitinho. TIREI A SORTA GRANDE.

  • Opa, grata surpresa ser modelo (primeira foto) de uma matéria sobre cervejas – e ainda BOAS cerevejas!

    Gostaria só que fosse creditada a imagem a devida fotográfa – Tainara Nassif

    Obrigada 🙂

  • Bela matéria
    Em pensar que a modelo (Mahyna) quase foi com um grupo de amigos para conhecer a fábrica da Eisenbahn num passado não muito distante num congresso de design em Floripa.
    Eu tinha acabado de fazer o tour pelo vale do Itajaí. Um ano depois estava eu lançando minha cerveja na Expo Cachaça em BH!

    Hoje eu e minha namorada fazemos a Vilã. Bons frutos e lembranças do Balaio da Comunhão Etílica!

  • Engraçado,
    Quando conheci meu noivo, eu não gostava de cerveja. Passamos o Carnaval juntos numa casa que praticamente não tinha água para beber, só cerveja (Skol e afins, mas ok).
    Depois disso fomos apurando nosso paladar juntos até que em uma viagem pros EUA, compramos um kit para fazer cerveja em casa. Então evoluímos para as cervejas artesanais.
    Hoje dividimos a paixão pela cerveja e até planejamos algumas viagens em função disso!
    Bjoss

  • Minha namorada tinha uma visão negativa da cerveja (alcoolismo na família). Este que vos escreve tem se esforçado pra contribuir na sua educação. Hoje ela pegou gosto pela Heineken (surpreendentemente, a meu ver, pois seu conhecido amargor é rejeitado até por alguns “cabras” do sexo masculino), e também adorou a La Trappe Dubbel. E estou para colher a opinião dela sobre a Leffe Blonde…

  • 15 Patricia Nunes

    Ótima reportagem… E pelo que percebo, as meninas estão muito presentes nos assuntos de cerveja, atualmente… Eu sou apreciadora nata, e minha dica está na associação com o Have a Nice Beer, onde recebemos mensalmente 2 rótulos de lugares diferentes do mundo, sendo 2 cervejas de caa rotulo: uma toma-se logo que recebe, e a outra guarda-se na coleção, pra uma Degustacao com amigos cervejeiros ou outra ocasião especial… 
    Estou no segundo mês de associação e o que mais me motiva são as matérias no conteúdo da revista que acompanha as cervejas, com dicas, curiosidades, e detalhes sobre o assunto predileto: CERVEJA… Pra quem gosta, vale muito a pena. 

  • Recomendo a Weiss, da Dama Bier. Aroma frutado e muito gostosa.

  • Que bom ler essa matéria, foi o meu atual namorado que finalmente fez eu me render aos prazeres da Cerveja, sempre fiz cara feia para a loirinha gelada,não achava ruim e deselegante, agora minha geladeira sempre tem uma Stella a minha espera!

Deixe um comentário

Você deve logar-se para postar um comentário.



Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: [email protected]