Comparativo de cervejas sem álcool

Comentários
41.241 visitas

semalcool.jpg

Teve Confrade brejeiro que “matou” a tia-avó de quinto grau só pra ter motivo pra não aparecer à degustação. Houve choro, ranger de dentes e muxoxos generalizados. Mas tudo pela ciência: Na semana passada BREJAS fez uma degustação comparativa de oito rótulos das cervejas sem álcool disponíveis nas gôndolas dos supermercados do país, as quais tiveram um crescimento considerável nas vendas a reboque da chamada Lei Seca.

Pra início de conversa, o “sem álcool” dos rótulos é, muitas vezes, balela (neste teste, apenas Liber e Warsteiner disseram em seus rótulos ser totalmente sem álcool). A maioria das brejas possui até 0,37% de teor alcoólico a cada 100 gramas.  Tais cervejas se enquadram no Decreto nº 2.314/97 do Ministério da Agricultura, que regula a matéria, mas sugerimos muita atenção se você estiver ingerindo algum medicamento de uso contínuo ou quer escapar ileso da blitz dos tiras.

Outra questão a considerar, e essa de caráter meramente degustativo, é que a esmagadora maioria das cervejas “sem álcool” possui um gosto pronunciado — e desagradável — de mosto cervejeiro, uma vez que a principal técnica de produção em cervejas do estilo é a interrupção da fermentação em um determinado ponto, antes que a levedura produza maiores quantidades alcoólicas. Entre caretas e expressões de enjôo, vamos às avaliações e notas das brejas:

  • CRYSTAL SEM ÁLCOOL – Clara e com pouco creme. Provoca uma sensação viva na boca, refrescante, mas enjoa logo. Milho e outros cereais não-malteados no sabor. Aroma doce. Sem lúpulo perceptível, a cerveja é desequilibrada no conjunto. No Ranking BREJAS ficou com a nota 1,20.
  • KRONENBIER – Até que surpreendeu. Aroma lupulado mas com toques sulfídricos (ovo), e o sabor é amargo. Carbonatação média, deixa uma sensação de refrescância na boca. No conjunto, transmitiu a impressão bem próxima de uma uma cerveja de verdade, merecendo alguns pontos por isso. Leva nota 1,50.
  • NOVA SCHIN SEM ÁLCOOL – Sabe aquela sopa que se toma quando está de regime? Com abóbora, repolho e chuchu? Esse é o sabor desta breja, doce como doce de batata doce (aqueles com forma de coração). Brincadeiras à parte, notamos muito cereal não-malteado. Seu creme é bonito, branco e denso. Mas ela é doce demais, com final levemente amargo e nada de lúpulo. Nota 1,27.
  • BAVARIA SEM ÁLCOOL – Quase sem creme. Fraco aroma de ferrugem. O sabor também é extremamente fraco, quase inexistente. Uma cerveja que entra em campo pra não jogar. Alguns de nós sentiram levíssima sugestão de cereais não-malteados, com retrogosto de xarope de criança. Por W.O., fica com a nota 1,10.
  • WARSTEINER PREMIUM FRESH – Desequilibrada, com excessiva presença de mosto de malte. Na degustação com os confrades, encontramos até doce de batata doce no sabor. Nada de lúpulo para quebrar um pouco os excessos. O final é levemente salgado. Nota 1,10.
  • ITAIPAVA SEM ÁLCOOL – O creme é bonito e duradouro, com bolhas pequenas. Mas as boas notícias páram por aí. No aroma e no paladar, é bastante desagradável. Melhor parar por aqui e dar a nota 0,90.
  • LIBER – A única que apresenta creme denso e de pouca duração. Tem um sabor leve e estranho de fruta passada parecido com fruta do conde (ou, para alguns de nós, de piña colada). Seu aroma é cítrico e sem lúpulo. Percebe-se um malte, mas de uma maneira pouco agradável. Leva nota 0,85, a menor do comparativo.
  • ERDINGER WEISSBIER ALKOHOLFREI – Bom creme denso e consistente. Aroma de malte, assim como o sabor, aliado a um amargor que equilibra bem o conjunto. Suave, sem retrogosto pesado. Faltam o lúpulo e principalmente o trigo, que seria de se esperar de cervejas do estilo, mas foi a breja que mais agradou (ou, melhor dizendo, a que menos desagradou) os Confrades do BREJAS, obtendo a nota 1,67, a maior do teste.

Ufa! Essa é para o mundo reconhecer os sacrifícios que fazemos em prol dos leitores do BREJAS! Agora que o trabalho sujo está feito, é a sua vez de comentar à vontade.

Cursos do BREJAS

Confira o programa de Cursos e Palestras do BREJAS. Para quem quer aprender a fazer sua própria cerveja em casa, atenção para as novas datas para o Curso de Cerveja Artesanal. Para degustar com conhecimento, o caminho é o Curso de Degustação de Cervejas e Cultura Cervejeira. E, para um evento realmente diferente na sua empresa, com informação cervejeira e também diversão, a Palestra-Apresentação corporativa O Mundo da Cerveja.

Comentários

  1. Bruno S. Bastos disse:

    ‘It’s a dirty job but someone’s gotta do it!
    Parabéns pelo profissionalismo e coragem!
    Abraço

  2. Bem, quem teve essa coragem está de parabéns!

    Pelos aromas descritos, foi uma verdadeira aula prática para os degustadores sobre DMS, H2S, aldeídos, etc. Tudo que deveria ser arrastado pelo CO2 na fermentação e não foi…

    A maioria das sem-álcool é mesmo feita pela interrupção da fermentação. Por isso esses aromas de mosto.
    As que são destiladas à vácuo ou passam por filtros especiais de remoção do álcool, podem apresentar também alguns aromas “esquisitos” como os que vocês notaram por exemplo na Liber.

    Abraço e mais uma vez parabéns. Não sei se eu teria essa coragem de enfrentá-las todas de uma vez, hahahahaha.

  3. Sergio disse:

    Bom levantamento, muito útil nesses dias de lei seca!

    Gostaria de saber se vcs têm alguma opinião sobre a Becker sem álcool. Provei algumas vezes e me pareceu a menos pior das sem álcool.

    Abs,

  4. […] você faz questão do bar e para isso acabou tendo que recorrer às (argh!) cervejas sem álcool, o Brejas avaliou as não-alcoolicas que estão nas […]

  5. Ivan disse:

    Me matei de rir ao ler isso aqui!

    Os caras são profissionais mesmo. Deviam ganhar insalubridade!!!

  6. mrguz disse:

    Amigos faltou tb a belco

  7. Emílio disse:

    A única que provei foi a Kronenbier e me pareceu que faltava tudo para ser Cerveja. De qualquer forma, o sabor não foi tão desagradável. Boa pesquisa! Quanto à Belco,não deve ter sido citada, pois a versão com álcool está longe do que entendo por “Cerveja”.

  8. meirimar disse:

    cara que coragem uma vez fui esperimentar uma dessa dai e quase morri de desgosto, é horrivel, e olha que eu fui fazer isso por causa da minha mulher que e uma bebedeira de cerveja , comprei pra ver se conseguia pelo menos acompanhar ela na bebedeira, porque de ficar bebedo eu ja sei como e , nao gosto, mas apreciar cerveja sem alcool e demais ate pra eu !!!!!!!!!!!!!!!!

  9. pancadinho disse:

    na moral … é perigoso beber estas … coisas … e bater a porra do carro.

  10. Façanha disse:

    Gostei muito do comparativo entre essas cervejas… Ja tentei passar um tempo sem beber, so na sem alcool e posso falar que não muito agradavel..
    valew

  11. gilberto disse:

    foi mto inutil(sinceramente), prefirimos tomar guarana ,kente e sem gas (aki em minas)
    doq cerveja sem alcool..hahahahha
    Parabéns pelo profissionalismo e coragem!(2)
    na moral … é perigoso beber estas … coisas … e bater a porra do carro.(2)

    ontem sai , n bebi ,sorte q tinha seguro!
    hahahahahhaha
    abraços a todos!

  12. jadir disse:

    voce nao entendem nada de cerveja.

    so bebem propaganda.

  13. lelo disse:

    vcs sao meus herois, beber cervejas sem alcool é fingir que esta bebendo, mas vc enjoa rapido e nao sente nem um prazer

  14. GILVAN disse:

    Destas aí, provei a Liber, Kronenbier e a Erdinger. Também achei que a única viável é mesmo a Erdinger. Mesmo tendo pouco trigo, é uma cerveja muito agradável de se tomar. Principalmente depois de uma corridinha. Afinal, nois bebe, mas nois corre!!!

  15. Rogério disse:

    Adoro cerveja sem alcool principalmente depois de estar com cirrose, vcs não sabem nada sobre o alcool e seus prejuizos, se soubessem parariam de beber!!

  16. Rafael disse:

    Cara, não posso beber nada com álcool… mas adoro cerveja!
    Obrigado pelas dicas!

    Hoje é sexta-feira e to com uma puta duma vontade de beber uma breja geladinha! Serei obrigado a ia ao supermercado comprar uma sem álcool.

  17. João Carlos F. Sciarini disse:

    Achei bastante bacana esse levantamento a respeito das cervejas sem alcool. Resolvi ler pelo fato de estar tomando antibiotico, e não poder tomar cerveja de verdade…Minha decepção foi ver q a Liber foi a “cerveja” com menor nota. Comprei 5 latas de Liber e só depois li a respeito. Mais bleza agora ja foi!!! Parabéns novamente…E haja coragem hhehe

  18. Jack Of All Trades disse:

    Já experimentei Kronen, Liber, Itaipava, Bavaria e uma francesa cujo nome não lembro. Tudo em nome de respeitar o médico que me receita os antidepressivos, que JAMAIS podem ser combinados com álcool. É tudo horrível, mas a Kronen é, de longe, a menos pior. Claro que deve estar no máximo a 15 graus negativos…rs!

  19. Ed disse:

    Nunca tive vontade de experimentar as sem alcool, mas uma vez comprei a Erdinger (pq tava em promoção) e ela me surpreendeu, é muito boa!
    Tomaria ela de novo, tranquilamente.

  20. ALINE L M C disse:

    Amei essa pesquisa!!! Estou grávida e ADORO cerveja. Não pra me embebedar, mas do sabor!!! (quase ninguuém me entende…). Estava tomando a Lieber. (arghhhhhh). Horrível!! Graças a vcs poderei provar outras já testadas!!
    VALEU!!!!!!!

  21. Pedro Soethe disse:

    acho injusta a nota para a Itaipava sem álcool, experimente a maioria e devo dizer o seguinte as melhores tirando a Edinger são a Itaipava e a Bavária, desde quando a NovaSchin pode ter nota tão alta, ela é realmente muitooooo doce, a Itaipava é amarga puxando mais para o gosto da cerveja normal, acho que você puxaram para um lado errado a pesquisa, já que quem toma uma sem álcool não quer um sabor diferente quer um sabor igual a com álcool e isto a Itaipava e a Bavária executam de forma bem rasoavel.

  22. antonio disse:

    A MELHOR É A SKIN 0% e a pior é a belco .

  23. lu disse:

    a itaipava sem alcool é tao boa, quanto qualquer uma cerva com alcool e digo que nao vou mais tomar com alcool, itaipava sem alcool pra sempre valeu!!!!!!

  24. andre disse:

    Apesar do justo preconceito com as cervejas sem alcool, porque afinal ninguem se prestou a fabricar uma pelo menos razoavel, fora a erdinger, vide pesquisa feita. E visto que a demanda pelas ditas “sem alcool” cresce a cada dia seja por orientação medica, por opção pessoal, por alcolismo ou pelo motorista da vez, as cervejas sem alcool são uma opção para que realmente gosta de cerveja e se vê podado entre outros motivos, muitos alheios a sua vontade, poder curtir o prazer do paladar de uma cerveja.
    parabens pela pesquisa, sugiro que ampliem as opções de marcas numa outra pesquisa (se ouver algum corajoso), pois garanto que muita gente está interessada no assunto, (basta ver a repercussão dos comentários)
    Temos muitas micro cervejarias no brasil que devem produzir cervejas sem alcool tambem, e acredito que de melhor qualidade que as aqui citadas, recentemente descobri a cerveja OPA sem alcool de blumenau, comercializada em lojas especializadas, não conheço o paladar ainda, e alem dessa deve haver outras, enfim.
    Esse assunto deve ser explorado!!
    num futuro ainda vão inventar o aroma de alcool pra misturar no Kisuco… hehehe
    grande abraço!

  25. Marcelo Cantagalo Filho disse:

    Pessoal, esta matéria está desatualizada. Até Mês passado eu bebia normal, mas por motivos diversos não estou + bebendo nada com alcool. É claro que fui atrás de cervejas s/alcool e por incrivel que pareca a nova skin 0,0% eu gostei (bem gelada). Acho que seria interessante repeti-la, não? Abraços!

  26. V. Silva Marques disse:

    Boa a intenção na pesquisa, mas é péssimo o disparate em relação as notas aplicadas.
    PRIMEIRO: A pontuação para a KRONENBIER de 1,50 e pontuaçao de 0,85 para LIBER demonstra um desconhecimento vergonhoso e tendencioso pelos avaliadores.
    SEGUNDO: o teste deve ser feito com pessoas que habitualmente consomem cerveja SEM ALCOOL.
    TERCEIRO: embora os gostos e opiniões variem, sugiro a quem quiser confiar no gosto de quem realmente gosta de cerveja e só consome sem alcool, ATÉ O MOMENTO, a melhor de todas é a Schin sem alcool, seguida pela Líber e 3ª Crystal. Grato!

  27. Marco disse:

    Enquanto podia, durante 50 anos, nunca suportei cerveja. Era vinho francês, blended escocês ou Jack Daniel´s cowboy. Há seis meses infarto e proibição de álcool. Comecei a peregrinação e a primeira Liber quase me fez vomitar. Hoje desce, geladíssima, uma Kroner ou a Erdinger. Há um monte de m* nestas postagens: antibiótico não “reage” com álcool, mas sai da concentração pelo efeito diurético. “Antidepressivo” (??!!) – ou melhor, uma associação com recaptadores de serotonina e/ou benzodiazepínicos, no máximo – não têm interação com álcool, mas potencializam o efeito um do outro e, portanto, basta tomar a metade de um ou de outro e ficar por isso mesmo. E, por fim, o percentual de álcool em dez necks de cerveja do tipo equivale a uns duzentos gramas de beterraba crua no intestino…Valeu, galera. Muito boa a experiência.

  28. DAURA COSTA disse:

    Tomei a Líber e amei! Tenho procurado aqui em João Pessoa, em alguns supermercados, mas não tenho encontrado. Por favor,diga-me onde comprar.
    Endosso o comentário de V.Silva Marques.

  29. jande disse:

    Gosto muito mesmo de cerveja, no entanto hoje sou obrigada a tomar sem álcool.
    Embora não tenha provado todas as que foram citadas aqui, concordo com quem considera boas a Bavária a Itaipava. Muito boas e lembram realmente o sabor das com ácool

  30. C Melo disse:

    Acho que sorte tem que gosta tambem de cerveja sem alcool, assim nao sofre tanto quando nao pode beber por algum motivo. O dificil é optar por uma longneck de cerveja sem alcool por 3 reais qdo a garrafa de 600ml skol custa 3,50, é um incentivo ao alcool. Isto quando o bar tem cerveja sem alcool, outra raridade :(

  31. RICK disse:

    MUITO BOM O ASSUNTO, TAMBEM NAO GOSTO DE CERVEJA SEM ALCOOL MAS ACHO IMPORTANTE POIS AS VESES DA UMA VONTADE TREMENDA DE MATAR A CEDE COM UMA BREJA E JUSTO NAQUELA HORA VOCE NAO PODE TOMAR! EU TOMO COM CERTA REGULARIDADE E ATÉ NO TRABALHO , NA HORA DO ALMOÇO MAS A NOITE TEM QUE VIR UMA EXTREMAMENTE SUPERIOR PRA COMPENÇAR. MAS REALMENTE PODERIAM SER MELHORES SIM E ASSIM SERIA MAIS FACILCONQUISTAR OS CONSUMIDORES , SOFREMOS HOJE UMA FALTA TREMENDA DE INTERESSE POR PARTE DOS LOJISTAS , DOS FABRICANTES E DOS CONSUMIDORES, POR ISSO NAO TEMOS PRODUTOS REALMENTE BONS COMO A ERDINGER FACIL A VENDA SEM CONTAR QUE O BRASILEIRO DE MODO GERAL SO TOMA PILSEM E NEM SABE O QUE SIGNIFICA ABRAÇOS A TODOS E PARABENS PELO SITE CONSUTO REGULARMENTE

  32. MONTEIRO disse:

    SEMPRE BEBI CERVEJA COM ALCOOL, MAS POR PROBLEMAS DE SAUDE, NÃO TIVE ESCOLHA, É CERVEJA ZERO ALCOOL MESMO.
    JA TINHA EXPERIMENTADO A KRONENBIER MAS É RUIMMMMMMMM
    NO MEU CASO, COMO TEM QUE SER ZERO MESMO ENTÃO EXPERIMENTEI A LIBER LONG NECK QUE ADOREI, ATÉ PESSOAS QUE BEBEM ELOGIAM A CERVEJA.
    LIBER GRAÇAS A DEUS VC EXISTE!!!!

  33. EVALDO CORDEIRO disse:

    legal, pois estava em dúvida qual breja ia beber sem alcool,já que estou decidido que não vou mais beber bebida alcólica.

  34. Roberto disse:

    tomei cerveja sem alcool como dever de colecionador…e sobrevevi..parabéns aos corajosos que enfrentaram esse desafio dessa categoria que se diz cerveja, o qual podemos considerar que tem o resultado mais sóbrio….

  35. Arrendio disse:

    Muito bacana. Estou tomando medicamentos e vou ficar uns 2 meses sem poder beber nada.
    Sem falar que se bebo, nem toco no carro.
    Falta melhorar a qualidade para que a gente nem note a diferença.
    Gosto de cerveja de qualidade e me dou este direito porque bebo pouco, mas quando bebo, exijo qualidade.

  36. Mário disse:

    Sou antigo bebedor de cerveja e por necessidade este ano de 2011 estou bebendo sem alcool, gostei dos comparativos entre as cervejas e só não concordo com a Bavária que para mim é a melhor entre as nacionais, porém a LIBER acho que tem gosto de água de Côco e em minha opinião a KRONENBIER, fica em 2º lugar.

  37. JULIO disse:

    Ainda bem que inventaram as sem alcool para pessoas que tomam medicamentos e não podem beber a normal.
    Apesar de claramente pior sabor, são uma alternativa. Se você beber só sem alcool, acaba acortumendo.
    Espero que o sabor melhore cada vez mais e inventem novas formas de torná-las mais gostosas.
    Abraços

  38. Sílvio Lage disse:

    Acho uma tremenda hipocrisia pregar “se beber não dirija”. Todos que bebem e são condutores, dirigem embriagados. precisamos é incentivar para a fabricação de cervejas sem álcool de qualidade e disponíveis, nos postos de vendas de bebinas. Situação que não acontece hoje.

  39. Vanderlan Xvaier de Lira disse:

    Gostaria de saber onde encontrar cerveja sem álcool aqui em Recife, pois a maioria dos super mercados e postos de gasolina não encontramos. Se possivel informar os locais onde posso encontrar.

  40. Wellington Felix disse:

    Cerveja sem álcool – mata a sede sem muitas calorias

    Nos quentes dias de verão vale antes de tudo a regra: beber muito! Em temperaturas elevadas o corpo sua mais, e com o suor são excretados minerais importantes para a vida. Já em temperaturas normais deveríamos beber diariamente de 1,5 a 2 litros; no verão devem ser adicionalmente 1 a 2 litros de bebida que contenham minerais, para compensar as perdas. Quem quer se alimentar de modo saudável e consciente das calorias, – levando em conta que deve ter sabor – não tem a vida fácil.

    A cerveja sem álcool é a bebida ideal para o verão. Ela preenche todas as exigências dos especialistas em nutrição – a cerveja (sem álcool e normal) contém substâncias minerais em abundância, que podem ser rapidamente assimiladas pelo corpo. Adicionalmente: a cerveja quase não contém açúcar e apresenta muito poucas calorias e, além disso, é um produto natural rico em vitaminas, produzido sem a adição de qualquer produto químico.

    Na tabela de calorias da obra “Dicionário de valor nutricional e calorias” (*) a cerveja sem álcool está cotada como a número um. Com 52 quilocalorias (kcal) ela vence a limonada (84 kcal) assim como o suco de maçã, que apresenta 98 kcal. Bem distante está o refrigerante sabor cola, com 122 kcal.

    Teor calórico em 200 ml:
    Cerveja sem álcool: 52 kcal
    Limonada: 84 kcal
    Cerveja pilsen: 84 kcal
    Suco de maçã: 98 kcal
    Refrigerante sabor cola: 122 kcal

    (*) Dicionário de Valor Nutricional e Calorias – Schlütersche Verlagsgesellschaft, 2003

  41. Wellington Felix disse:

    Assim uma carência de ácido fólico na gravidez pode ser, por exemplo, um motivo para partos prematuros. A cerveja, também em suas variantes sem álcool, é um dos melhores fornecedores de vitaminas: um litro de cerveja contém mais de um terço das necessidades diárias de um adulto em ácido fólico. Cervejas sem álcool podem ser assim um importante complemento alimentar para todos adultos, mas principalmente para mulheres grávidas e que amamentam com uma elevada necessidade de vitaminas e substâncias minerais.

    Estudos científicos demonstraram: a cerveja, através de seu conteúdo de fermento e malte, é um dos mais eficientes fornecedores de vitaminas entre os alimentos: ela contém elevadas concentrações da importante Vitamina B e mais de 30 diferentes substâncias minerais e oligoelementos. Assim, um litro de cerveja (também sem álcool), cobre quase que a metade da necessidade diária de magnésio, 65% da necessidade de niacina por dia, cerca de 20% da necessidade diária de um adulto em potássio ou precisamente 38% da necessidade diária de ácido fólico. Para ingerir a mesma quantidade de ácido fólico através de outros alimentos, um adulto deveria, por exemplo, comer 0,5 kg de tomates ou beber 1,5 litros de leite.

    E ainda melhor: não apenas o puro teor de vitaminas decide sobre o valor de um alimento: as vitaminas devem poder ser bem absorvidas pelo corpo. Estudos mostraram de modo inequívoco, que as vitaminas contidas na cerveja podem ser absorvidas pelo organismo particularmente bem e rápido. Isso comprova o que as gerações passadas já sabiam: a cerveja é – se consumida de modo moderado – uma contribuição muito importante para uma alimentação saudável, equilibrada e uma alimentação complementar. E na sua variante sem álcool, também para grávidas e mulheres que amamentam.

    Fonte: DBB
    Traduzido e Adaptado por Matthias R. Reinold

  42. Marie disse:

    Concordo inteiramente com a avaliação de vocês! Estou grávida e experimentei quase todas. Gosto de cervejas mais amargas com as red ales e guinness, então sofri muito com Líber que, para mim, é sinônimo de tortura (uma nhaca doce que não sai da garganta nunca mais). Já a Erdinger achei BEM gostosa e bebi feliz.

  43. wander marques silva disse:

    nao concordo com essa degustaçao, pois voces experimentam com a opiniao ja formada pelos sabores das cervejas que estao acostumado, porem deveria engerir durante um tempo para que depois disso desse sua opiniao.sou conhecedor de cervejas tradicionais e tantas outra. e agora como consumidor de cerveja sem alcool durante a semana posso dizer que a cerveja sem alcool é surpreendente, pricipalmente a kronembier. obrigado.

  44. Osifran de Jesus Castro disse:

    Pesquisa interessante, no entanto entendo que o gosto pela bebida é muito pessoal e principalmente em relação a cerveja, que tem como fator principal para um sabor agradável a sua temperatura. Outro dia estava na Praia de Ponta Negra com minha esposa e pedimos uma cerveja Bohemia, entretanto, por engano, o garçom nos trouxe uma Liber a qual veio dentro de um recipiente de isopor que não deu para identificarmos a marca. Só depois que bebemos a cerveja é que o garçom se aproximou e nos informou sobre o equívoco. Confesso que num primeiro momento não identifiquei que não era uma Bohemia, e só depois do alerta do garçom e que degustei mais atentamente a cerveja e percebi um sabor mais adocicado, mas que em nada alterou um gosto agradável verificado na cerveja sem álcool. Posso inclusive assemelhar a liber com a Budweiser que é uma cerveja bem adocicada mas muito gostosa.

  45. Renato disse:

    Eu amava cerveja, saborear mesmo. Porém, por problemas de saúde, não poderei mais ingerir nada de alcool, e nenhum outro estimulante. Contudo, sinto falta do sabor, e às vezes tomo uma sem alcool bem gelada pra matar a saudade. Para quem fica de ” arghhh” isso ” arghhh” aquilo, se tiver que se privar do alcool pra sempre como eu, matar a saudade do sabor em uma sem alcool até que dá pra ser prazeroso.
    Parabéns. Excelente análise para aqueles que realmente precisa beber cerveja sem alcool.

  46. Matheus Coelho disse:

    Muitas das Brejas testados eu nunca tive o prazer de provar, mas a de menor nota no seu teste eu já tomei bastante, eu gostei muito da Liber, ai vai do gosto de cada um, e já aderi tomar Breja se Alcool, já perdi amigos em acidentes e não quero ser o proximo, pelo menos eu, não tenho problema algum em tomar Breja sem Alcool.

    um abraço.

  47. Nilton disse:

    Li a matéria e todos os comentários à respeito, estou, por problemas de saúde há 73 dias sem uma cervejinha, nem mesmo sem álcool….E ler me deu ainda mais sede, tomarei tampico por enquanto…

  48. Salezio disse:

    A nova skin zero álcool na minha opinião é a melhor. Nunca tinha ouvido falar da ERDINGER. Vou tentar encontrá-la e experimentar.

  49. Leandro disse:

    Bom, sou um bebedor de cerveja sem alccol, pasmem. Gosto muito.
    Na minha opnião as mais gostosas são a Cristal sem alcool e a Itaipava Sem alcool, essas 0,0 alcool sõ muito ruins, elas não tem alcool algum e isso as deixa mais amargas e sem graça.
    Estou esperando agora fazerem a Litral sem alcool rsrsrsrsr

  50. Marcio D disse:

    Sempre bebi cervejas com álcool, mas (…hepatite é foda!!) concordo que as “sem álcool” não chegam aos pés da pior cerveja “com álcool”. Mas cara…não tem coisa pior que o cara que sempre tomou uma ceva com os camaradas ficar sem um copo na mão, por isso as sem álcool também tem a função “social” , mas não se preocupem aqueles que não podem beber mais, a gente vai acostumando e gradativamente vai largando as Líber´s da vida e troca por um refri, suco e por incrivel que pareça, uma água com gás ( com um limão esprimido)terá seu vlor também. Meu ranking: Nova Schin, Liber e Erdinger.

  51. marcelo disse:

    Por motivos de remédios tomo sem alcool, agente se readapta, e gosto e indico a bitburger (cerveja alemã) k custa uns 5 pila e se acha em sites p vender, e as liber tb são boas.

  52. Campos disse:

    Ministério da Agricultura???

  53. Mauro Cesar disse:

    Eu era “viciado” em cerveja com alcool, mas agora só vivo na Liber. É saborosa e não consigo mais tomar cerveja alguma com alcool. Recomendo para quem quer se livrar do alcool e curtir o sabor de cerveja sem ressaca no dia seguinte.

  54. Miguel disse:

    Cruel um teste de cerveja sem álcool por pessoas que SÓ tomam normalmente cerveja com álcool. Para ser imparcial, sugiro novo teste, cego, e dessa vez convidando pessoas que habitualmente tomam cerveja sem álcool (sem preconceito).

  55. Claudio disse:

    Hoje, fui convidado a participar de uma despedida de uma colega e chegando lá me lembrei que não podia fazer uso de Bebida alcoólica, acabei pedindo uma Liber, entre uma e outra terminei muito bem a noite e pretendo tomar mais vezes.

  56. Clésio disse:

    Com essas famigeradas e arrecadadoras blitz, o jeito é tomar cerveja sem álcool. Porém as cervejeiras deveriam agir com inteligência e investir na cerveja sem álcool, melhorando o sabor e a qualidade. Inclusive engarrafando em recipiente 600ml.
    Pois o futuro será este nem sempre você está a pé se vai a alguma festa ou encontra alguém em um bar , vai fazer o que? tomar este purgantes sem álcool ou entupir de refrigerante que causa um mal pior? tomar suco? com um copo vc já está cheio. Como ficar 3h num bar tomando suco ou refrigerante ou não tomar nada? no último caso o garçom te expulsa. Então cervejeiras !!! vamos melhorar isso ai!!!!

Anuncie

Anuncie no Brejas e divulgue o seu negócio:

Baixe nosso Mídia Kit

Entre em contato: brejas@brejas.com.br

Cursos do Brejas

Participe dos cursos de cerveja do Brejas

  • Fabricação de Cerveja Caseira
  • Estilos e Degustação de Cerveja